Porto Velho/RO, 03 Maio 2021 09:35:31

CarlosSperança

coluna

Publicado: 03/05/2021 às 09h33min | Atualizado 03/05/2021 às 09h35min

A-A+

Os predadores locais tiram o sono de deputados estaduais de Porto Velho

Evitar o naufrágio Até afundar, em abril de 1912, o transatlântico Titanic era considerado imune ao naufrágio. O escritor Morgan Andrew..

Evitar o naufrágio

Até afundar, em abril de 1912, o transatlântico Titanic era considerado imune ao naufrágio. O escritor Morgan Andrew Robertson avisou: fez publicar em 1898 o livro “Futilidade, ou o Naufrágio de Titan”, sobre um gigantesco navio que naufraga no Atlântico Norte ao colidir com um iceberg. Os donos do Titanic ignoraram essa possibilidade e ela aconteceu. 

O conceito nazista de que a mentira mil vezes repetida se torna verdade foi desmoralizado pela sabedoria antiga de que ela tem pernas curtas. O nazismo conseguiu enganar muitos por algum tempo, mas acabou na lata de lixo da história.

Com a internet ainda em sua idade da pedra, aproveitando a ignorância e a desinformação, espertalhões revivem o conceito nazista na forma de fake news. A Amazônia sofre os efeitos danosos de narrativas perversas ou distorcidas desde muito antes das notícias falsas disseminadas em redes de comunicação. Com a desmoralização do negacionismo referente ao aquecimento global, a grande floresta é alvo de narrativas que a expõem ora como a origem do Apocalipse mundial, ora como a grande tábua de salvação do planeta.

Descartando de cara o Apocalipse, resta aos sensatos defender a teoria da tábua de salvação. Mas se o excesso de pessimismo leva à apatia, o excesso de otimismo pode levar ao Titanic. Prevenir continua sendo o melhor remédio.

………………………………………………………………………..

Sem aglomerações

O Ministério Público e as autoridades sanitárias estão cortando a festa dos governadores bolsonaristas de Rondônia Marcos Rocha e Gladson Camelli do Acre. Ocorre, que para a inauguração da ponte sobre o Rio Madeira, na Ponta do Abunã, no próximo dia 7 de maio, foi recomendado desde já que a solenidade deverá ocorrer sem aglomerações. Imaginem a frustração dos governadores e dos parlamentares rondonienses e acreanos que aspiravam um grande evento para marcar a data, já que se trata de uma das obras federais mais importantes na região amazônica nos últimos anos.

Epicentro

E a proibição de aglomeração na inauguração da ponte ganha força em virtude da nossa região ter se transformado no epicentro da pandemia do coronavirus. Como se sabe, pelas últimas estatísticas, Porto Velho tem mais mortes pelo covid do que Manaus, aquela  capital que foi alvo de um colapso sanitário há pouco tempo atrás e que conseguiu reverter uma situação deplorável com seus cemitérios superlotados de vítimas da doença. Ninguém poderia imaginar que em Rondônia a situação ficasse pior ainda – e agora com tudo liberado. Satanás fará uma grande festa com tantas aglomerações por aqui!

Novo partido

Tudo indica que o governador Marcos Rocha (sem partido) desistiu da reconciliação com o PSL, do líder do agronegócio Bagatolli, que quase se elegeu ao Senado nas eleições de 2018 e que pretende voltar a disputa no ano que vem. Ocorre que o presidente Jair Bolsonaro, mentor de Rocha, analisa possíveis filiações ao PTB de Roberto Jefferson e no PRTB, agora sob o controle familiar do dirigente Levy Fidelix recentemente falecido. Mesmo em fase de construção a sigla Aliança do Brasil acabou sendo descartada pelos bolsonaristas.

Outra opção

Uma outra opção oferecida ao presidente Jair Bolsonaro para disputar a reeleição no ano que vem teria sido a filiação aos Republicanos, um partido já bem articulado também no Congresso Nacional, mas repleto de raposas políticas evangélicas ligadas ao bispo Edir Macedo. A solução chegou a ser considerada, mais muitos bolsonaristas desconfiaram que não teriam controle da legenda da Igreja Universal ou até mesmo avaliando que o preço seria muito caro e com riscos enormes do bispo virar a casaca caso os ventos soprem contrários a atual gestão do Palácio Planalto.

Muitos predadores

Se tem uma coisa que tira o sono dos atuais deputados estaduais de Porto Velho para a eleição do ano que vem, quando quase todos vão buscar a reeleição, são os predadores locais com suas presas afiadas. Lembrando que a cada pleito a Câmara de Vereadores da capital emplaca pelo menos três deputados, teremos o cenário agravado também com deputados estaduais do interior que ampliaram seus redutos para a capital, casos de Edson Martins, com fazenda na BR- 319, Jean de Oliveira que cresceu em Porto Velho e iniciou sua carreira política por aqui, Laerte Gomes, entre outros. E Maurão de Carvalho que já está no trecho.

Via Direta

*** Onde vamos parar? Um governo federal desmoralizado investigado por uma CPI com raposões igualmente desmoralizados como Renan e Jader Barbalho*** Trocando de saco para mala: Quais seriam os entraves para a inauguração do Complexo da Estrada de Ferro Madeira Mamoré recentemente concluído? O que está acontecendo, torcida brasileira, a coisa está mais enrolada que a inauguração da ponte do Abunã *** E a flexibilização das regras para o funcionamento do comércio na capital está mostrando porque Porto Velho se transformou no epicentro da pandemia *** Temos desde abusos de aglomerações e falta do uso da máscara pelos jovens a falta da fiscalização dos organismos municiais e estaduais.


Deixe o seu comentário

sobre Carlos Sperança

Um dos maiores colunistas político do Estado de Rondônia. Foi presidente do Sinjor. Foi assessor de comunicação do governador José Bianco entre outros. Mantém uma coluna diária no jornal Diário da Amazônia.

Arquivos de colunas