Porto Velho/RO, 20 Setembro 2021 16:50:50
Saúde

Paciente é curada de lúpus após terapia imunogenética experimental

Paciente optou pela terapia como último recurso de tratamento em março, após quatro anos lutando contra a doença

Por SNB
A-A+

Publicado: 20/09/2021 às 16h46min | Atualizado 20/09/2021 às 16h50min

Paciente optou por uma terapia imunogenética experimental em março e foi curada do lúpus (Foto: Universidade-Hospital Erlangen)

A jovem Thu-Thao, de 20 anos, recebeu a maravilhosa notícia que está completamente curada de lúpus, após passar por uma terapia imunogenética experimental na Alemanha. A paciente optou pela terapia como último recurso de tratamento em março, após quatro anos lutando contra a doença. O estudo do caso foi publicado no New England Journal of Medicine. Com os resultados de Thu-Thao, abre-se uma oportunidade para curar outros pacientes.

A jovem se voluntariou para a terapia, aplicada por médicos da Universidade-Hospital Erlangen, na Alemanha. A terapia imunogenética experimental é usada para tipos mais agressivos de câncer e, pela primeira vez, foi aplicada no combate ao lúpus. Os médicos coletaram as células T da paciente e fizeram a modificação genética em laboratório. Com isso, as células passam a destruir, ou inativar, as células B do corpo, que são responsáveis pela doença.

Thu-Thao foi diagnosticada com lúpus eritematoso sistêmico (LES) aos 16 anos. De lá para cá, ela usou diversos medicamentos e tratamentos, até conhecer a nova terapia.

No caso do LES, os linfócitos B passam a produzir anticorpos contra as células do coração, rins e da pele, principalmente. A doença a impedia, por exemplo, de praticar atividades físicas, devido a dores nas juntas e palpitações. Em muitos casos, aliás, o lúpus pode ser fatal. Mas Thu-Thao conta que agora, seis meses após a terapia, ela pode voltar a rotina de antes da doença.

Ela já pratica esportes, dorme melhor e teve uma diminuição significativa das palpitações e retenção de líquidos. E o melhor: de acordo com os médicos, ela não apresenta nenhum sinal de reincidência da doença. Com os resultados obtidos em Thu-Thao, agora os médicos querem iniciar testes clínicos para o tratamento em pessoas com lúpus sistêmico. (SNB)



Deixe o seu comentário