Porto Velho/RO, 14 Setembro 2020 14:58:49

Carlos Sperança

coluna

Publicado: 22/08/2020 às 08h57min | Atualizado 22/08/2020 às 08h58min

A- A+

Partidos com mais de um candidato estao batendo chapas para as escolhas dos candidatos

  Atualizando Vargas Em outubro se completarão os 80 anos do célebre discurso de Getúlio Vargas no qual definiu como a mais elevada..

 

Atualizando Vargas

Em outubro se completarão os 80 anos do célebre discurso de Getúlio Vargas no qual definiu como a mais elevada tarefa na Amazônia transformar sua força e fertilidade em energia disciplinada. “Apenas – é necessário dizê-lo corajosamente – tudo quanto se tem feito, seja agricultura ou indústria extrativa, constitui realização empírica e precisa transformar-se em exploração racional”.

Tantas décadas passadas não tornaram obsoletas as exortações do presidente da República naquela época: disciplinar as energias da natureza significa, hoje, desenvolver a bioeconomia. Promover a exploração racional é uma expressão para a palavra sustentabilidade. “Bioeconomia já” será uma palavra de ordem mais eficiente e positiva que os negativos “foras” dos cartazes de protesto. O importante é entender que sem normas ou planificação até derrubar árvores e negociar animais silvestres pode ser considerado bioeconomia.

O vice-presidente Hamilton Mourão, à frente do Conselhão da Amazônia, sabe nada se faz por mágica e estimou que desenvolver o plano da bioeconomia é tarefa de longo prazo. De fato, executar um plano até a colheita dos resultados requer tempo. O importante é que haja um plano. Um consenso mínimo que traga já no curto prazo investimentos para viabilizar sólidos ganhos econômicos e sociais em todos os prazos.

…………………………………………………..

Já lançados

Alguns partidos já lançaram seus candidatos, faltando apenas a homologação nas convenções de setembro para a peleja da prefeitura de Porto Velho. São os casos de Ramon Cajuí (PT), Samuel Costa (PC do B), Ruy Motta (PDT), Cristiane Lopes (PP) Leonel Bertolin (PTB), Ronaldo Flores (Solidariedade), Lindomar Garçom (Republicanos), Fabricio Jurado (DEM), Tesari do Expedito (PSD), Vinicius Miguel (Cidadania), Breno Mendes (Avante), deputado Anderson (Pros), pastor Edvaldo Soares (PSC), Pimentel (MDB).  

As indefinições

As maiores indefinições estão nos partidos de ponteira, como PSDB de Hildon Chaves, Podemos de Leo Moraes, PSB de Mauro Nazif. O prefeito tucano busca um nome de consenso na sua base aliada para então anunciar sua desistência das paradas. O deputado federal Leo Moraes examina a conveniência de disputar ou não a cadeira de prefeito ou se preservar para a disputa do Senado ou governo em 2022. O mesmo caso ocorre com Mauro Nazif (PSB).

Batendo chapas

Nos partidos com mais de um candidato haverá bate chapa nas convenções. Isto poderá ocorrer no PSL, que teria dois nomes com a intenção de disputar a sucessão do prefeito Hildon Chaves, o deputado estadual sargento Eyder Brasil e o deputado federal Coronel  Crisóstomo. A mesma contenda pode ocorrer no MDB, sempre propenso a disputa intestinas e rachado desde as convenções estaduais entre os grupos de Valdir Raupp e o senador Confúcio Moura.

Nos bastidores

O que rola nos bastidores é que teria ocorrido um entendimento entre o prefeito Hildon Chaves com seu aliado Expedito Junior para a formação da chapa com o novato Thiago Tessari (PSD) a prefeito tendo o vereador tucano Mauricio Carvalho na vice. Mesmo assim a base aliada da administração tucana seguiria rachada, já que o ex-deputado federal Lindomar Garçon (Republicanos) melhor aquinhoado nas primeiras sondagens não estaria contemplado no arranjo feito pelos caciques.

Caçando vice

 Ainda nas conversas de bastidores políticos se propala que o MDB só projetaria a candidatura a prefeito do ex-secretário de estado da saúde Willians “Nero” Pimentel – aquele que apunhalou os Raupps – só seria lançado em último caso. Na verdade, o partido busca uma indicação de vice de Pimentel numa chapa competitiva, seja com Leo Moraes (Podemos) ou Cristiane Lopes (PP). É o modus operandi ao longo dos tempos do MDB em Porto Velho: a política de alianças.

Via Direta

*** O prefeito  de Porto Velho, o tucano Hildon Chaves vai concluindo sua gestão com honra ao mérito, mas sem força para obter a reeleição, diante de um predador tão forte como o deputado federal Leo Moraes (Podemos) *** O curioso é que as projeções iniciais dão conta que se Leo for eleito prefeito, Hildon Chaves ganharia com facilidade sua cadeira nas Câmara dos Deputados no pleito de 2022 *** Trocando de saco para mala, já são 21 nomes anunciados com a intenção de conquistar o Prédio do Relógio. No entanto, mais da metade quer mesmo é ser vice de um candidato de ponteira *** O Rio Madeira dá pista de uma seca histórica na região de Porto Velho *** Radialistas e apresentadores de TV estão se trombando nas ruas de tantos candidatos a vereança na capital.


Deixe o seu comentário

sobre Carlos Sperança

Um dos maiores colunistas político do Estado de Rondônia. Foi presidente do Sinjor. Foi assessor de comunicação do governador José Bianco entre outros. Mantém uma coluna diária no jornal Diário da Amazônia.

Arquivos de colunas