porto velho - ro, 21 Abril 2019 11:36:35
Política

Partidos entram na disputa ao governo com bases rachadas

A disputa pelo governo do Estado ganhou mais um capítulo neste final de semana em Rondônia. Na corrida contra o prazo estabelecido pela..

A- A+

Publicado: 06/08/2018 às 12h16min | Atualizado 06/08/2018 às 16h56min

Se preferir, ouça a versão em áudio

O PSDB foi para a convenção de domingo na capital com o nome do vereador pastor Edésio Fernandes para ser homologado candidato a vice-governador na chapa encabeçada por Expedito Júnior (PSDB) (Foto: Divulgação/RedetvRO )

A disputa pelo governo do Estado ganhou mais um capítulo neste final de semana em Rondônia. Na corrida contra o prazo estabelecido pela Justiça Eleitoral para a realização de convenções partidárias, os partidos políticos realizaram no último domingo em Porto Velho e Ariquemes os últimos encontros regionais para homologação de candidaturas a governo, vice-governador e senado, deputado federal e estadual.

O PSDB foi para a convenção de domingo na capital com o nome do vereador pastor Edésio Fernandes para ser homologado candidato a vice-governador na chapa encabeçada por Expedito Júnior (PSDB). O nome Fernandes foi confirmado na última sexta-feira pelos tucanos, mas a “briga pelo poder” ganhou um novo capítulo na madrugada de sábado para domingo.

A confusão no ninho tucano começou por conta da nominata de candidatos à Assembleia Legislativa. O presidente da Câmara de Porto Velho, vereador Maurício Carvalho, considerado “predador de votos” entre os tucanos, representava uma grande “ameaça” as candidaturas de dos deputados Laerte Gomes (PSDB) e Adelino Follador (DEM). Maurício foi convencido a recuar do projeto de estadual, iniciando uma confusão nos bastidores com Expedito Júnior. Tucanos tiveram que separar os dois.

As conversações no ninho tucano seguiram na madrugada de sábado para domingo, quando convenceram Maurício Carvalho a desistir do projeto de estadual. Maurício, que é filho de Aparício Carvalho, dono da Faculdade Fimca, em Porto Velho, foi aconselhado a sair candidato a vice-governador na chapa pilotada por Expedito Junior. Ficou acertado que Edésio Fernandes será candidato ao senado, em uma aliança formada por PSDB, DEM e PRB. O deputado federal Marcos Rogério (DEM) é candidato ao Senado.

A briga no ninho tucano aconteceu uma semana após a convenção do MDB, marcada por cenas de pancadaria e destruição no prédio da legenda em Porto Velho. Adeptos à candidatura de Confúcio Moura entraram em confronto com o segurança quando souberam que o um grupo ligado ao senador Valdir Raupp tentava excluir o nome do ex-governador na disputa por uma vaga ao Senado. Durante as cenas de selvageria, o suplente do senador Valdir Raupp, Tomas Correia, deu um tapa no rosto do ex-chefe da Casa Civil, Emerson Castro.

Convenção do MDB foi marcada por confusões (Foto: Edison Falcão/RedeTV RO)

PODEMOS

Ainda no domingo, o Podemos realizou a convenção e decidiu caminhar com o MDB, cujo candidato ao governo é o presidente da Assembleia, Maurão de Carvalho. O parlamentar foi até a convenção do partido, que acontecia na sede do Bingool Clube, no centro de Porto Velho. Maurão estava acompanhado do senador Valdir Raupp, que ao ser anunciado no microfone por Leo Moraes, recebeu uma longa vaia do público que prestigiava a convenção. Raupp, temendo ser vaiado novamente, preferiu não usar a palavra e teve que sair às pressas da convenção. Apenas Maurão discursou.

Leo Moraes, presidente do Podemos, era cogitado para ser vice-governador, mas declinou do convite e resolveu sair candidato a deputado federal (Marcelo Freire/Diário da Amazônia)

O partido optou em lançar o ex-vereador Jaime Gazola, da Faculdade São Lucas, na chapa encabeçada por Maurão de Carvalho. Gazola é filho de Maria Elisa Aguiar, primeira suplente de Senado de Confúcio Moura. Leo Moraes, presidente do Podemos, era cogitado para ser vice-governador, mas declinou do convite e resolveu sair candidato a deputado federal para ajudar na nominada do MDB, encabeçada por Marinha Raupp, Lúcio Mosquini e Claudia Moura.

PV E PT

O PV recebeu a militância no plenário da Assembleia Legislativa e decidiu aliança com o PSL na corrida ao Poder Legislativo.(Marcelo Freire/Diário da Amazônia)

O PV e PT realizaram convenção ontem (5) em Porto Velho. O PV recebeu a militância no plenário da Assembleia Legislativa e decidiu aliança com o PSL na corrida ao Poder Legislativo. O PV recebeu a visita de Maurão de Carvalho e do senador Valdir Raupp. Maurão usou a tribuna para dizer que sempre foi um defensor do meio ambiente. Ocorre que no mês passado o parlamentar assinou decreto revogando áreas de preservação em Rondônia. Ao final do encontro, ficou acertado que o PV deixará a militância livre para apoiar candidaturas ao governo.

PT Rondônia entrou com recurso junto ao Diretório Nacional após convenção (Marcelo Freire/Diário da Amazônia)

O PT, após convenção realizada na sede do partido em Porto Velho, decidiu entrar com recurso junto ao Diretório Nacional com a finalidade de modificar a decisão da Executiva Nacional que o obriga a formação de um bloco de esquerda em Rondônia lançando a candidatura de Fátima Cleide ao Senado. O argumento apresentado pela direção local é que foram feitos os esforços necessários para esta composição, mas o PCdoB firmou coligação na proporcional para deputado estadual com o PMN e PSC e para deputado federal com o PMN, PSC, PROS, e PHS conforme informou o Presidente Francisco Pantera, decisão tomada no dia sexta-feira. O PSOL realizou convenção no sábado optando por lançar candidatura própria ao Governo. Conforme informou o seu presidente Pimenta de Rondônia. A ausência destes partidos deixaria o PT isolado e inviabilizaria a eleição de deputados. O recurso protocolado no Diretório Nacional é assinado pelo Presidente regional do PT, deputado estadual Lazinho da Fetagro.

Neodi vice-governador de Acir Gurgacz

PP define candidatura de Neodi Carlos (PSDC) como candidato a vice-governador na chapa encabeçada por Acir Gurgacz (PDT)(Marcelo Freire/Diário da Amazônia)

Em Ariquemes, o PP realizou convenção na sede de uma faculdade da cidade. Durante encontro, ficou acertado a candidatura de Neodi Carlos (PSDC) como candidato a vice-governador na chapa encabeçada por Acir Gurgacz (PDT). O PP fechou aliança à Câmara Federal com PTB, PSB, PDT, Solidariedade e PR. Neodi tem o apoio dos empresários do Estado que atuam no agronegócio e já foi presidente da Assembleia Legislativa por dois mandatos. Os partidos decidiram ainda lançar os ex-prefeitos Jesualdo Pires (PSB-Ji-Paraná) e Carlos Magno (PP-Ouro Preto) candidatos ao Senado.



Escreva um comentário