Porto Velho/RO, 08 Janeiro 2020 09:29:56

    CarlosSperança

    coluna

    Publicado: 08/01/2020 às 08h32min | Atualizado 08/01/2020 às 09h29min

    A-A+

    PDT sai na frente e deve lançar candidatura própria na capital

    O pandemônio ambiental Como tudo tem consequências, também o Prêmio Manuel Guerreiro, concedido pela Universidade do Algarve (Portugal)..

    O pandemônio ambiental

    Como tudo tem consequências, também o Prêmio Manuel Guerreiro, concedido pela Universidade do Algarve (Portugal) ao livro “A Institucionalização da Pan-Amazônia”, de Paulo Henrique Faria Nunes, doutor em ciência política pela Universidade de Liège (Bélgica) e professor da PUC-Goiás, teve os desdobramentos naturais de chamar a atenção para a obra e para seu autor. Mas essa atenção também teve consequências.

    A primeira delas é a dura crítica feita por Nunes à Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (Otca), que deveria ser um instrumento forte de valorização regional e assumir o protagonismo de um contexto em que a Amazônia é o principal assunto para a humanidade, ligado diretamente aos riscos para a sobrevivência da espécie. Ela ficou inerte quando terríveis notícias negativas sobre crimes ambientais e trapalhadas desastrosas de governantes ocupavam as manchetes da imprensa e a agenda dos organismos internacionais.

    Para Nunes, a organização apresentou vários bons elementos, mas se perdeu na macropolítica. Para ele, o balanço geral evidencia pouca disposição dos Estados amazônicos para consolidar e fazer avançar a Otca. Do episódio salta à vista a raiz do problema: a omissão, incompetência e ausência dos poderes públicos dos países amazônicos nas áreas de fronteira funcionam como incentivos ao crime.

    …………………………………………………..

    Entre os piores?

    Não vejo, conforme recente levantamento replicado pela mídia,  Marcos Rocha entre os piores governadores da atual safra brasileira. Algumas razões: 1- Foi jogado aos leões sem orçamento aprovado na ALE para 2019 e virou o jogo 2- Foi prejudicado com a volta da dívida de R$ 17 milhões mensais  do Beron e mesmo assim mantém o pagamento dos servidores em dia 3- Passa longe dos escandalos 4- Mantém o crescimento do PIB do estado em cinco por cento – e com as dívidas equacionadas. 

    A deliberação

    Para fortalecer sua nominata de candidatos à vereança, o PDT decidiu lançar candidatura própria a prefeitura de Porto Velho. A mobilização em torno da definição desta postulação já começa em março e a legenda tem pelo menos tres pretendentes para a peleja. O presidente do Diretório Municipal Ruy Motta larga na frente para conquistar a indicação nas convenções municipais do meio do ano conforme sondagem recente entre os convencionais.

    Até nos quilombolas!

    Impressiona o alcance das drogas em Rondônia. Depois de chegar aos bairros mais distantes da capital e de pólos regionais mais expressivos do estado e nos seus distritos ao longo da BR-364, Vale do Jamari e Cone Sul rondoniense e comunidades ribeirinhas, já se vê casos de drogados nas tribos indigenas e nas comunidades quilombolas. Onde vamos parar? É uma situação que se agrava a cada ano com o domínio dos cartéis nestas bandas. 

    Uma disputa

     Segue a peleja pela indicação de vices nas candidaturas de ponteira a prefeitura na capital rondoniense. A indicação mais disputada por enquanto é a do atual prefeito Hildon Chaves (PSDB), com tres nomes interessados em integrar sua chapa. Os primeiros concorrentes sairam chamuscados. No entanto, assim que o deputado federal Leo Moraes (Podemos) confirmar sua candidatura haverá um enxame de nomes na pista para obter a vaga de vice.

    A clandestinidade

     Rolam muitos loteamentos “fantas” para todos os lados em Porto Velhoe. Temos dezenas de famílias se instalando as margens da BR 319, no setor chacareiro, depois da Zona Leste, Planalto, etc, etc. Vamos ver como ficará o plano de expansão urbana e as diretrizes do Plano Diretor com tanta clandestinidade. E não bastasse a falta da regularização fundiária, temos especuladores agindo, participando e incentivando invasões de terras.

    Via Direta 

    *** Em época de eleição, com a caça aos votos, os políticos de Porto Velho – principalmente os vereadores chupins – lideram a busca de beneficios para áreas invadidas e loteamemtos clandestinos*** Pedem urgência no encascalhamento das ruas, posteamentos para energia, e os serviços de água e esgoto *** Lembrando que as invasões prejudicam o adensamento urbano e com isto os gastos com infraestrutura só aumentam para a municipalidade que já tem um orçamento limitado *** Pelo menos seis ex-deputados estaduais de Rondônia estão se preparando para disputar as 21 cadeiras de vereadores na capital *** Por conseguinte, teremos uma batalha intensa pelas vagas, e por isto muitos edis já estão de cabelos em pé com toda esta movimentação.  


    Deixe o seu comentário

    sobre Carlos Sperança

    Um dos maiores colunistas político do Estado de Rondônia. Foi presidente do Sinjor. Foi assessor de comunicação do governador José Bianco entre outros. Mantém uma coluna diária no jornal Diário da Amazônia.

    Arquivos de colunas