Porto Velho/RO, 11 Maio 2020 23:00:39

Carlos Sperança

coluna

Publicado: 08/05/2020 às 07h05min | Atualizado 08/05/2020 às 10h09min

A- A+

Pelo visto o govenador Marcos Rocha perdeu a maior parte da sua base parlamentar na ALE

Ataques à Amazônia  Alinhados com a intenção do Ministério da Economia de dar fim à Zona Franca e de outros ministérios para..

Ataques à Amazônia 

Alinhados com a intenção do Ministério da Economia de dar fim à Zona Franca e de outros ministérios para relaxar os cuidados com a floresta, os líderes do Sudeste provavelmente vão acusar a Amazônia de impedir que o Brasil entre na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), o clube dos países ricos. Aliás, nesta hora de sofrimento, dor e luto, este deveria ser o último item da pauta.

Pesquisa preliminar feita pela OCDE para avaliar o pedido brasileiro de aceso à instituição, sonho de grandeza da diplomacia do Planalto, enche de vergonha os brasileiros em geral, mas além disso coloca a Amazônia como o centro das críticas. O relatório condena as distorções das políticas ambientais que resultarão em mais desmatamento.

Há, porém, dois dados que enfraquecem o documento. Primeiro, seus autores tiveram que apressá-lo por conta da Covid-19 e se pode acusá-lo de afoito e incompleto. Segundo, a OCDE não o reconhece como o documento final a ser levado em consideração, mas como o vazamento de um rascunho.

Uma vez que rascunho é prévia de texto, porém, caberia às autoridades brasileiras avaliar as diversas acusações ali constantes. No mínimo, para esclarecê-las. Se necessário, para desmenti-las por antecipação, caso seja possível. Ou cumprir os deveres negligenciados, tarefa da qual não pode fugir.

……………………………………………………………

Base de apoio

Pelo visto o govenador Marcos Rocha perdeu a maior parte da sua base parlamentar na Assembleia Legislativa de Rondônia. Se vê   em plenário apenas o deputado Eyder Brasil, que é o atual líder governista defendendo as paliçadas do CPA da pauleira em cima do DER e da Saúde. Urge a articulação política entrar em ação para as coisas não piorarem de vez. Recompor a base aliada é uma necessidade urgente nas hostes palacianas. Afinal, como diz o adágio popular, uma só andorinha não faz verão.

De braçadas

 Já, na Câmara de Vereadores de Porto Velho, o prefeito Hildon Chaves está nadando de braçadas. Com maioria naquela casa de leis tem aprovado as matérias do interesse do Executivo sem grandes burocracias. Lá, ele conta com  a importante parceria do presidente daquela casa de Leis, Edwilson Negreiros que deve disputar a reeleição. Chaves é bem articulado e tem mostrado isto tanto nas instâncias estaduais como perante os deputados federais e senadores em Brasília.

Clã Negreiros

O clã Negreiros  que tem emplacado deputados estaduais e vereadores, na eleição deste ano deverá se unir para reeleger o presidente da Câmara Municipal de Porto Velho Edwilson, como se propala nos bastidores. Caso ele obtenha uma boa votação, como é esperado, o edil entrará na peleja em 2022 para uma cadeira na Assembleia Legislativa do Estado. Em toda eleição para ALE pelo menos dois vereadores se elegem ao parlamento estadual.

Boa estréia

O comunicador Leo Ladeia, parceiro nosso na Rede TV,  tem um novo desafio, estreando na Rádio Rondônia e deve  deixar poeira para a concorrência. Assume um horário que já  consagrou radialistas do porte de Arimar Sá e o falecido Mauricio Calixto, entre tantos apresentadores, num horário tradicional criado pelo ex-senador Odacir Soares ainda nos anos 80, numa cadeia estadual de emissoras de rádio. É a maior do estado, atingindo todos os polos regionais. 

A regularização

A pandemia do coronavirus influenciou nas últimas semanas no recuo dos trabalhos da regularização fundiária em Porto Velho, uma das grandes reivindicações da população. São quase 100 mil imóveis esperando a legalização, entre eles  os antigos existentes desde o Território Federal, aos mais novos  criados no  ciclo das invasões nas décadas de 80 e 90 a espera de  serem titulados. A expansão urbana também criou mais propriedades irregulares, inclusive do outro lado da ponte do rio madeira, as margens da BR 319.

 

Via Direta

*** Por conta da pandemia do coronavírus o adiamento das eleições municipais de outubro aos poucos vai deixando o terreno das especulações para se tornar realidade *** O prefeito de Ariquemes Thiago Flores  que desistiu do seu projeto de reeleição afirma que não vai deixar a política. Possivelmente vai disputar uma cadeira a Câmara dos Deputados em 2022 *** Depois de contar com excelentes deputados federais atuantes  em décadas passadas, como Francisco Sales e Confúcio Moura, nos últimos pleitos a região do Vale do Jamari não tem emplacado representantes a altura *** Prefeitos da velha guarda, como Sebastiao Valadares (Porto Velho), Francisco Sales (Ariquemes), Assis Canuto (Ji-Paraná), Dedé de Melo (Guajará Mirim) penduraram as chuteiras e não falam mais em concorrer a cargos eletivos *** Também ex-governadores como José Bianco (Ji-Paraná) e Oswaldo Piana (Porto Velho) estão fora das paradas e não deixaram herdeiros políticos. 


Deixe o seu comentário

sobre Carlos Sperança

Um dos maiores colunistas político do Estado de Rondônia. Foi presidente do Sinjor. Foi assessor de comunicação do governador José Bianco entre outros. Mantém uma coluna diária no jornal Diário da Amazônia.

Arquivos de colunas