porto velho - ro, 21 Setembro 2019 21:36:27
    Geral

    Período de estiagem em Porto Velho aumenta focos de incêndio

    Começou o período estiagem no Estado e os incêndios nas áreas urbanas e rural de Porto Velho continuam frequentes. Nesse final de..

    Por Larina Rosa Diário da Amazônia
    A-A+

    Publicado: 22/07/2019 às 14h32min | Atualizado 22/07/2019 às 16h15min

    Começou o período estiagem no Estado e os incêndios nas áreas urbanas e rural de Porto Velho continuam frequentes. Nesse final de semana os moradores da Comunidade Terra Santa, localizada na Estrada da Penal sofreram mais uma vez com a fumaça das chamas.
    De acordo com os moradores o número de casos de incêndios neste período aumentam no local devido ao costume de alguns moradores da própria comunidade de atear fogo no lixo. Lenir, moradora da comunidade conta que com a chegada do vento o fogo se alastrou por sua propriedade, as chamas só foram controlados após a ida de um caminhão pipa que estava abastecido em uma empresa localizada nas proximidades.  A área atingida que faz fundos com o Parque Ecológico, não chegou a ser atingida devido à ação rápida dos brigadistas do local.
    As pessoas não tem o entendimento que não podem colocar fogo, tivemos que se salvar com o caminhão pipa.”
    Segundo o Subcomandante Geral do CBMRO, Gilvander Gregório, nesse momento de baixa do ar o risco de incêndio aumenta devido o calor e a vegetação seca.
    A queima de lixo em pequenos espaços das propriedade continua sendo problema cultural do Estado. Os  bombeiros municipais estão tentando atender todos os focos de incêndio em Porto Velho.
    No mês de julho a guarnição de combate aos incêndios do Corpo de Bombeiros Militar de Rondônia recebeu um total de 338 chamadas e atendeu 53 casos de incêndios em vegetação, estruturas residenciais e outros casos de queima com seis caminhões e oito homens exclusivos.
    O Comandante Geral do CBMRO, Demargli da Costa Farias  destaca que nessa época do ano o Corpo de Bombeiros já tem um planejamento para combater incêndios das áreas urbanas e rurais.
    “Temos três aeronaves fiscalizadoras que informam os orgãos responsáveis sobre os focos de incêndio. Já fizemos um projeto para implantar 67 hidrantes pela cidade. A dificuldade é que temos somente dois hidrantes no município,  o ideal é instalar um hidrante por bairro, precisamos desses postos de abastecimentos para conter os casos de incêndios em toda a cidade”.
    Carros e prédio
    No último final de semana também ocorreram dois incêndios em estabelecimentos comerciais de Porto Velho. Sete veículos da empresa Saga Veículos, na rua da Beira, lateral da BR-364, sentido Candeias do Jamari foram queimados, ainda não foi divulgada as causas do incêndio. Na noite deste sábado (20) o prédio da empresa Rondobras foi coberto pelas chamas na Avenida Nações Unidas. Foram utilizados 10 caminhões e a Brigada Municipal e o Exército foram acionados para dar suporte. Para controlar o fogo os donos de outras lojas vizinhas também ajudaram com mangueiras de água.
    Com o propósito de reduzir os casos de queimadas urbanas e rurais de Porto Velho  30 brigadistas civis trabalharam para frear as chamas no ‘Programa Porto Velho Sem Fogo’, promovido pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Sema). O número 0800 647 1020 está disponível para denúncias.
    Quem provoca incêndios está sujeito a pena de dois a quatro anos de reclusão. Casos de incêndio que colocam em risco a vida, a integridade física ou o patrimônio, a pena sobe para três a seis anos de reclusão. Além da possibilidade de responder processos criminais.


    Escreva um comentário