porto velho - ro, 18 Março 2019 11:58:57
Ciência e Tecnologia

Pesquisadores recriam células de mamute que viveu há 28 mil anos

Células germinativas preservadas do animal pré-histórico apresentaram alguma capacidade de divisão após serem inseridas em camundongos

Por R7
A- A+

Publicado: 13/03/2019 às 08h49min

Se preferir, ouça a versão em áudio

Imagem Ilustrativa

Os restos mortais de um mamute que viveu há 28 mil anos foram encontrados em um solo permanentemente congelado na Sibéria, em 2011. Desde então, ficou o material genético ficou congelado e preservado para futuras pesquisas. Na última segunda-feira (11), pesquisadores divulgaram os resultados de um estudo, na publicação científica Scientific Reports, que busca recriar geneticamente o animal extinto.

O material genético utilizado no experimento foram retiradas da medula óssea e do tecido muscular do mamute e inseridos em células germinativas de camundongos. Os cientistas detectaram que as células eram capazes de estabelecer estruturas que fazem parte da etapa da divisão celular. Apenas cinco das várias células germinativas implantados nos ratos demonstraram alguma capacidade de realizar a divisão celular, mas não o suficiente para o renascimento de um mamute.

Pesquisadores previnem que os estudos não cedem esperanças para o ressurgimento do animal pré-histórico extinto há milhares de anos. Novos métodos com outras tecnologias devem ser utilizados para tentar gerar um novo mamute.

Imagem Ilustrativa

 



Escreva um comentário