Porto Velho/RO, 01 Setembro 2021 03:57:28
Diário da Amazônia

Plataforma tecnológica irá monitorar propriedades rurais em RO

Através de notificações o proprietário é acionado sempre que tiver acontecendo algo errado na propriedade, podendo evitar grandes prejuízos.

A-A+

Publicado: 19/03/2021 às 04h00min | Atualizado 19/03/2021 às 10h59min

A plataforma Monitoramento Rural é uma das startups atendidas pelo Sebrae em Rondônia, e tem o propósito de monitorar ilícitos ambientais das propriedades rurais, evitando assim grandes prejuízos aos proprietários, seja por meio da destruição da propriedade ou do recebimento de multas aplicadas por órgãos de fiscalização.

O diferencial da plataforma está na simplicidade de manuseio: basta o usuário acessar o endereço www.monitoramentorural.com, preencher um formulário de cadastro e posteriormente cadastrar a área que deseja que o sistema monitore, e pronto, a área desejada começa a ser monitorada. A partir desse momento, sempre que forem detectados incidentes na área ou nos arredores, o proprietário é notificado via WhatsApp e via e-mail.

O usuário também pode ver o histórico de incidentes detectados nos últimos anos. Em alguns dos alertas de desmatamentos gerados, é possível visualizar como eram as áreas antes e como ficaram depois do ocorrido. Também são apresentadas informações como tamanho da área desmatada, município a qual pertence, além da data do antes e depois das imagens apresentadas.

Um dos recursos que torna toda a plataforma ainda mais interessante é o fato de os alertas de focos de incêndios serem enviados em tempo real, o que permite que o proprietário tome as providências cabíveis para evitar prejuízos ainda maiores, esclarece Mario Fraga, desenvolvedor da plataforma.

“A ideia é que o proprietário seja notificado do que aconteceu dentro da sua área. Imagine um cidadão que está passando o final de semana na cidade, e acontece um incêndio na sua propriedade ou até mesmo numa área vizinha. Ele será avisado na hora. A partir daí ele poderia, por exemplo, acionar os bombeiros, poderia se dirigir à propriedade e tentar criar um aceiro para evitar o avanço do fogo. Sabemos que quanto mais rápido ele agir, menores deverão ser os prejuízos”, afirma.

Ainda de acordo com Fraga, donos de propriedades de até 60 hectares podem utilizar de todos os serviços oferecidos na plataforma sem qualquer custo. “A ideia é democratizar o acesso à tecnologia, de forma que os pequenos possam desfrutar de recursos que, até então, somente donos de grandes propriedades teriam”, conclui. (A.I.)



Deixe o seu comentário