Porto Velho/RO, 31 Agosto 2021 13:50:12

LéoLadeia

coluna

Publicado: 11/08/2021 às 11h43min

A-A+

Política & Murupi

Uma mentira contada mil vezes acabaria em tese por se transformar em verdade? Não. Não é bem assim. As Forças Armadas têm um..

Uma mentira contada mil vezes acabaria em tese por se transformar em verdade? Não. Não é bem assim. As Forças Armadas têm um calendário planejado de ações que inclui manobras   militares, treinamento na selva, patrulhamento nas fronteiras, na Amazônia, nos rios, bacias, vacinações, ou seja, a cada período predeterminado – militar tem essa prática muito salutar de planejar o que fará – executam aquilo que foi desenhado no papel. Em Formosa, região ao norte de Brasília há um campo de treinamento que é utilizado pelas Forças Armadas desde 1988 e apenas para reforçar, usado a partir do planejamento militar feito com antecedência.  A Marinha no seu jargão, “levantou ferros” saindo da água para o treinar seus Fuzileiros Navais em terra, no local indicado e preparado para tal fim, lá em Formosa. Brasília está no caminho de Formosa. É importante que se diga que para ir a Formosa não é preciso passar na frente do Palácio do Planalto que fica de frente para o prédio do STF e próximo ao prédio do Congresso Nacional. Nunca, desde 1988 um comboio militar dirigindo-se a Formosa fez tal trajeto. Mas, desta feita fez e mais, o comandante da força que se deslocava fez algo inédito: subiu a rampa e entregou um convite ao presidente Bolsonaro para assistir as manobras militares.

Fosse o presidente um civil, sem qualquer formação militar, mesmo sendo o chefe supremo das Forças Armadas e o fato não teria acontecido, mas Bolsonaro é umbilicalmente ligado aos militares e, além de gostar, incentiva o estilo “militares no governo”. Em tempos de paz seria esta a explicação e nenhuma mentira, fake news, boataria ou qualquer outro nome que se queira dar, seria agregada ao fato e a carroça continuaria seguindo e ajeitando as abóboras, mas aí surgiu a história de que a Marinha havia desfeiteado os poderes constituídos.

Ocorre que há uma guerra de poder entre os Três Poderes, mas em especial entre o STF, o TSE e Executivo encarnada nas figuras do Presidente Bolsonaro e do Presidente do TSE, Ministro Barroso e, convenhamos que quem foi à rinha quer ver um galo trucidando o outro com pé d’orêia, cangapé e rabo de arraia e se não tem nada disso, é hora de “tacá fogo na zona” e foi o que aconteceu. A tchurma que apaga fogo com gasolina adicionou à mentira da desfeita da marinha ao TSE outra inverdade que seria a mentira de que a passagem do comboio militar -e de novo repito – desnecessário, havia sido programado para ocorrer justamente no dia em que a Câmara dos Deputados deve votar a pouco provável instituição do voto impresso, que o TSE e em especial o Ministro Barroso que preside a casa, não concorda.

Ora, a questão do voto impresso já foi julgada antes pelo STF, é matéria pacificada e só está na pauta por conta do voluntarismo do Presidente Bolsonaro que aliás foi eleito nove vezes pelo sistema de urna eletrônica. Dizer que há fraude eleitoral porque não há voto impresso é uma balela, mentira, fake news, boataria e ainda que dita mil vezes não irá se transformar    em verdade. De igual forma dizer que a passagem do comboio militar da Marinha pela frente do Palácio do Planalto é atentar contra a democracia, é também uma balela, mentira, fake news, boataria e ainda que dita mil vezes também não se transformaria em verdade.

Há ainda no Brasil o trauma por conta da divisão ocorrida em 1964 e que continua incendiando alguns corações e mentes que torcem pelo quanto pior melhor e que acreditam que existe uma luta sem tréguas do bem contra o mal, entre o comunismo – hoje seria a ala de políticos ditos progressistas – e o capitalismo a ala de políticos voltados ao agronegócio e ao mercado. Alijado desta guerra, mas sofrendo as dores o povo paga caro por sua manutenção.

Vale lembrar que os pobres de Brasília vivem como pobres que são nas cidades satélites e que não existem Chefe de Poder, Senador, Deputado Federal, Presidente, vice e/ou autoridades ministeriais pobres, independentes de terem ou não partido, ou de serem direita ou esquerda.   No fundo, todos são iguais. Ou como diz o povo, é “tudo farinha do mesmo saco” e só querem o voto para se perpetuarem como seus representantes. E você se sente representado por eles?

FRASE DO DIA:

“Uma população vulnerável, encurralada, indefesa é presa fácil da demagogia, do autoritarismo e do desrespeito e a minha geração não pode abrir mão do que fizemos juntos.” –Raul Jungmann na posse como ministro da Segurança Pública

1-O silêncio é de ouro I

“Quaisquer manifestações a respeito de apurações em curso contrariam os princípios que norteiam a administração pública, em especial os da impessoalidade e da moralidade”, disse a Procuradora Geral da República, Raquel Dodge, no requerimento que fez ao STF pedindo que por ordem judicial o delegado chefe da Polícia Federal Fernando Segóvia se abstenha de declarações a respeito de inquéritos em curso, sob pena de afastamento do cargo de chefia da PF. Esse é mais um pedaço do tapete para onde iria a investigação no inquérito que apura se Temer beneficiou a Rodrimar.

2-O silêncio é de ouro II

Independente dos desdobramentos que venham a ocorrer ou das ilações que porventura venham a ser feitas a partir das explicações que o diretor-geral da PF foi obrigado a dar ao ministro Barroso, a passagem do delegado Segóvia na PF será sempre lembrada por sua indicação atribuída a Sarney e às matadas no peito que vem dando a favor do Temer, sem que tenha a competência para atuar em investigações, visto que exerce um cargo de natureza meramente política e administrativa.   

3-Apocalipse now

Depois de muito baterem cabeça e fritarem neurônios, os peritos criminais federais abriram a caixa de Pandora e diz o presidente da Associação Nacional dos Peritos Criminais Federais, Marcos Camargo que a perícia efetuada nos dois sistemas de propina da Odebrecht, o Drousys e o My Web Day, são como uma ponta do iceberg. Áreas para investigação da Lava Jato foram abertas com o acesso a novos documentos como 32,6 mil relatórios financeiros e contábeis da empresa. “A partir de então, desenrolou-se um novelo gigantesco. É uma caixa de Pandora e dali vai sair de tudo”, diz Marcos. O laudo feito por ordem de Moro, acolheu um pedido da defesa de Lula. Vixi…

 

4-Dê-lhe tiro e dê-lhe grito

A “bancada da bala” do Congresso Nacional está em polvorosa. A intervenção na segurança do Rio de Janeiro foi o pretexto para que Alberto Fraga do DEM, da Frente Parlamentar da Segurança Pública da Câmara possa abrir fogo contra o Estatuto do Desarmamento. Ele lembrou que, apesar do referendo de 2005 ter sido vencedor com 64% dos votos, há uma demanda no país. “A PF tem critérios subjetivos para decidir quem pode ter uma arma ou não. Para quem cumprir os requisitos, o direito de se defender tem que ser assegurado”. Vixi… Já pensou como é que isso vai ficar?

   

5-Febre do ouro

A PF está nas ruas com 48 mandados de busca e apreensão, quatro para prisão preventiva, um para prisão temporária e 10 medidas substitutivas de prisão preventiva, numa operação para apurar o comércio ilegal de ouro além da concessão de benefícios fiscais irregulares a empresas da Zona Franca de Manaus. Como isso é pode parecer tiquin, a PF vai dar um baculejaço no Amazonas, de olho em crimes contra o meio ambiente, lavagem de dinheiro, contrabando, falsidade ideológica e é claro, organização criminosa. A Operação Elemento 79 alude ao número atômico do ouro e ocorre nos estados de Roraima, Rondônia, Minas Gerais e São Paulo, além do Amazonas. Haja rolo

 

6-Uma ideia jerical

O ministro Raul Jungmann acabou com uma dor de cabeça do Temer, ao sentar na cadeira de Ministro da Segurança: demitiu Segóvia, diretor da PF, último alvo do STF e PGR por ter falado muito sobre o que não devia, constrangendo a tudo e a Temer. “Se ele falou algo e falou demais, muitos outros têm falado demais também no Poder Judiciário, no Ministério Público. Não é uma prática dele falar demais. Falou uma vez. Talvez esteja pagando o preço por isso”, disse Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados que deveria ter falado menos por já ter falado demais noutras ocasiões. Para o Zé de Nana, ”quem fala demais dá bom dia a jerico”.

 

[email protected]

 

Facebook Leo Ladeia II

 


Deixe o seu comentário

sobre Léo Ladeia

Leo Ladeia é baiano de Itororó, torcedor do Bahia ou um pau rodado que apoitou por aqui. Começou como radialista na Rádio Vitória Régia aos 55 anos. Apresentou o programa Lendas do Rock na rádio Parecis. Na SIC TV como aqui no Gente de Opinião Léo Ladeia fez de tudo. Astronauta, boy, pintor, poeta e pedreiro. Mutante, gosta de experimentar e de desafios, atualmente Ladeia está trabalhando no Rede TV Rondônia, canal 17,do Sistema Gurgacz de Comunicação.