porto velho - ro, 19 Julho 2019 12:04:33

José Luiz

coluna

Publicado: 23/06/2019 às 06h00min

A- A+

Ponta do Abunã pode se tornar um pólo de desenvolvimento

Que beleza!    No eixo de 160 quilômetros partindo da cabeceira da ponte em construção, as margens do rio Madeira no distrito do..

Que beleza!

   No eixo de 160 quilômetros partindo da cabeceira da ponte em construção, as margens do rio Madeira no distrito do Abunã, pela Br 364 até o distrito de Nova Califórnia na divisa com o Acre, são 225 mil hectares de áreas produtivas aptas  ao cultivo de soja e milho sem que para isso seja necessário derrubar uma árvore. Mais de 265 mil cabeças de bovinos de corte e leite ocupam essa vasta área, tornando a região de Ponta do Abunã responsável por mais 30% dos tributos recolhidos pelo município de Porto Velho.

      Encurtando caminho

     Com término da construção da ponte sobre o rio Madeira prevista para o segundo semestre de 2019, a região da Ponta do Abunã, tem tudo para se tornar um grande pólo de desenvolvimento no extremo norte de Rondônia, onde já começam a surgir investimentos na produção de grãos, agregando valores ao agronegócio. Ali, nove de cada dez pequenos, médios e grandes produtores rurais, assim como empresários acreditam no desenvolvimento desta região que por séculos permaneceu esquecida.

    Churrasco gordo

   Em Vista Alegre do Abunã, na churrascaria Caipirão que não deixa nada a desejar aos viajantes, onde além de um vasto Buffet, pode se saborear, costela, picanha, frango assado e outros cortes pelo módico valor de R$ 20,00. O sócio proprietário Valmir Campos, um gaúcho gremista, afirma: “quando cheguei à 30 anos só existia mata e poeira. Luz só de lamparina”.

      Visão de futuro

     Pode parecer exagero, mas não é. Os governadores de Rondônia e Acre, Marcos Rocha e Gladson Camelli, num lampejo de humildade e visão futurista, se deram as mãos unindo forças e buscando com sucesso, junto ao governo federal recursos para a conclusão da ponte sobre o rio Madeira, ameaçada de paralisação. Esse gesto com certeza vai fortalecer a economia de uma região rica de terras férteis capaz de produzir riquezas gerando rendas.

      Gringo bom!

      Em Extrema, o pecuarista, José Silvério Pereira Baia, dono de mais de 3,5 mil cabeças de bovinos de gorda, diz que acredita no futuro da região a fala: “conheço pouco o secretário de Agricultura, Evandro Padovani, conversei com ele uma vez só, mas parece ser um gringo bom”. Gaba-se de ter votado em Jair Bolsonaro por coerência e Marcos Rocha por que acredita em mudanças.

      Pequenos e grandes

    A Ponta do Abunã por essas incoerências que só a política e o desconhecimento da realidade provocam, além dos arranca-rabos violentos que causaram prejuízos incontáveis, ainda preserva ali a tradição forte da agricultura familiar, contando com o apoio dos técnicos da Emater. O que todos esperam depois da conclusão da ponte sobre o rio Madeira é a presença da prefeitura na preservação de estradas vicinais e do governo estado levando segurança, a quem trabalha no campo.  

      Finalizando

    Durante quatro dias visitei, conheci e conversei com produtores rurais e empresários da Ponta do Abunã. Pude sentir a expectativa positiva deles em relação ao futuro depois da concluída a ponte sobre o rio Madeira. Estou produzindo uma série de três matérias sobre a importância econômica e social desta região, tendo como pano de fundo a ponte sobre rio Madeira, um desejo secular.

 


Escreva um comentário

sobre José Luiz Alves

José Luiz Alves, é jornalista. Apresenta aos sábados das 6h às 8h na Rede Tv Rondônia! o programa Campo e Lavoura, com informações ao homem do campo e produtores rurais, em cadeia com seis emissoras de rádios para todo o Estado de Rondônia.

Arquivos de colunas