Porto Velho/RO, 07 Dezembro 2020 08:49:58
Educação

Porque insistem no retorno as aulas?

Recentemente, o Ministério da Educação anunciou que as Universidades Federais do Brasil teriam que voltar as aulas presenciais em..

A-A+

Publicado: 04/12/2020 às 09h58min | Atualizado 07/12/2020 às 08h49min

Recentemente, o Ministério da Educação anunciou que as Universidades Federais do Brasil teriam que voltar as aulas presenciais em janeiro de 2021. Em menos de uma semana desde este anúncio, o mesmo Ministério anunciou que desistiu da ideia. Aparentemente, a população em geral não gostou da iniciativa e o Governo Federal cedeu à pressão. Para alguns especialistas, é quase que óbvio que o retorno as aulas em janeiro de 2021 é uma péssima ideia. Então fica a pergunta, porque alguns Governos, não só o Governo Federal brasileiro, insistem no retorno imediato das aulas? Porque não manter as atividades acadêmicas através do ensino a distância? Porque não fazer avaliações online, como por exemplo através da elaboração de um tipo de texto crítico? Vamos tentar explicar essas e outras questões neste artigo.

O resultado do retorno as aulas em 2020

Engana-se quem acha que o Brasil é o único país que sofreu com a pandemia e tentou um retorno precoce as aulas. Os Estados Unidos da América chegaram a realizar o retorna das aulas presenciais. O problema é que em menos de um mês desde o retorno, surtos de COVID-19 foram registrados através do país. Entre as crianças, os casos de COVID-19 aumentaram 90%. Apesar do retorno não ter sido em todo território nacional, cidades como New York mantiveram as escolas fechadas, o Governo Federal Americano já recuou com os planos de retorno e atualmente estão reavaliando a situação. Com a eleição de Joe Biden para a presidência dos EUA, é de se esperar que leve muito mais tempo para o retorno total das aulas no país. Joe Biden já declarou que uma das suas prioridades é combater a pandemia.

As aulas a distância como alternativa

As autoridades junto com as instituições de ensino não demoraram muito para perceber que suspender as atividades acadêmicas em todo o país por tempo indeterminado não seria viável. Como resposta, as aulas a distância foram adotas, principalmente nas  instituições privadas de ensino superior. É fácil de entender o porquê, afinal, sem aulas seria difícil cobrar mensalidades dos alunos. Por outro lado, escolas públicas de ensino fundamental e médio não optaram pelas aulas a distância e, infelizmente, há motivos para que isso seja inviável.

Os problemas com as aulas a distância

Para começar, nem todos os alunos tem as condições necessárias para acompanhar aulas a distância, especialmente nas instituições de ensino públicas. Para que as aulas a distância sejam possíveis, o mínimo necessário é que os alunos tenham acesso à internet e computador. Além disso, é necessário um ambiente adequado, silencioso, para que os estudantes possam estudar. Isso é um problema enorme para vários alunos. As avaliações também são um desafio. Pedir para os alunos produzirem uma  dissertação em prosa e enviarem por email pode parecer simples, mas controlar o plágio e a participação de terceiros é quase que impossível remotamente.

Porque um retorno seguro é impossível em 2020 ou antes da vacina

O ano de 2020 já está chegando ao fim e não estamos nem perto de controlar a pandemia. A nossa maior esperança é que uma vacina fique pronta em 2021. Os países que sofreram com a pandemia e tentaram retornar as aulas em 2020, já nos mostraram que essa é uma péssima ideia.

A segunda onda da pandemia e o futuro do ensino

Especialistas já alertaram a população mundial sobre o perigo de uma segunda onda da pandemia. Diante disso, é praticamente impossível imaginar o retorno das aulas antes da vacina ser distribuída para a população. As autoridades não tem um plano B para o futuro do ensino, todas as fichas estão na produção da vacina.

 



Deixe o seu comentário