porto velho - ro, 14 Junho 2019 07:25:39
Capital

Porto Velho registra mais de 50 focos de incêndio em maio

Os incêndios frequentes na área urbana de Porto Velho preocupam a população da Capital

Por Redação Diário da Amazônia
A- A+

Publicado: 26/05/2019 às 16h57min | Atualizado 26/05/2019 às 17h53min

Se preferir, ouça a versão em áudio

O período de estiagem mal chegou e Porto Velho já registrou, somente neste mês de maio, mais de 50 focos de incêndio dentro do perímetro urbano, de acordo com a Subsecretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Sema). As chuvas ainda não deram trégua, mas os incêndios na área urbana na capital continuam sendo frequentes.

Conforme informou a diretora do Departamento de Gestão de Políticas Ambientais e Mudanças Climáticas (DGPA), Adirleide Dias, a região norte está passando pelo período de transição climática, entre o inverno amazônico e o verão amazônico. “No mês de transição da chuva para a seca, neste mês de maio já tivemos 52 ocorrências de incêndios que já são considerados altos porque ainda estamos na transição”, contou.

O município de Porto Velho trata o assunto como preocupante. A Sema trabalha desde 2017, com um programa em que as práticas educacionais voltadas ao cuidado do meio ambiente, são repassadas para a comunidade através da distribuição de materiais informativos entre outros.
“A gente vem trabalhando para sensibilizar a comunidade. Esses materiais trazem informações à comunidade que há outras alternativas que possam ser usadas que não seja o fogo. Desde 2017 nós temos o programa ‘Porto Velho Sem Fogo’, que tem o intuito de trabalhar em três vertentes: na educação ambiental; no combate a queimadas em parceria com a 17ª Brigada de Infantaria de Selva e com a parte de fiscalização”, relatou.
O Código Municipal de Meio Ambiente, além de proibir a prática dos incêndios, também pune o cidadão que for flagrado praticando queimadas. Para ajudar a combater a prática de queimadas, o morador que presenciar o ato poderá denunciar por meio do telefone 08006471320. As chamadas para o número são gratuitas e o denunciante não precisa se identificar. “Ao fazer a denúncia é importante repassar o endereço completo do local para que os fiscais possam ir até a ocorrência”, disse Ardileide. Nos levantamentos feitos pela Sema apontam que as ocorrências de incêndios mapeadas estão sempre nos mesmos pontos.


Escreva um comentário