Porto Velho/RO, 17 Novembro 2020 09:12:30

Carlos Sperança

coluna

Publicado: 17/11/2020 às 09h09min

A- A+

Porto Velho vivenciou eleições atípicas e no interior não houve surpresas

Estreantes sinceros O que se viu nas eleições municipais 2020 é que atacados por todos os lados, os “ideológicos” são em geral os..

Estreantes sinceros

O que se viu nas eleições municipais 2020 é que atacados por todos os lados, os “ideológicos” são em geral os mais sinceros e os que mais sofrem na campanha para prefeito e vereador. Sem experiência anterior com a política partidária, são pessoas com opiniões fortes e firmes não só de direita, mas também de centro e esquerda, orgulhosos da própria honestidade e severos críticos da corrupção.

Ignoram que nos partidos, sem ideário nem programa real, é permitido mentir e trapacear até amigos, sem risco de expulsão ou perder mandatos. Não é assim como todos os partidos, mas ao se deixar atrair por nomes de agremiações que batem com suas convicções, os ideológicos percebem no processo eleitoral que caíram em arapucas. Discriminados, seu papel é só somar votos para os caciques ou seus escolhidos como preferenciais.

Na prática, os partidos, as siglas, os nomes de fantasia, no geral são ajuntamentos de interesses ao redor de um cacique que delega poderes a caciquinhos regionais e municipais. Raros membros de um Partido Socialista ou Trabalhista defendem ideias da classe trabalhadora e ninguém sabe de fato o que seria “social-liberal” ou “reconstrução da ordem”.

Na prática, os partidos, as siglas, são só nomes midiáticos de fantasia. Falam muito em democracia, mas não a praticam nem em casa, na própria agremiação. Para quem já milita, isso não é surpresa. Para os estreantes, entretanto, é uma imensa decepção.

…………………………………………………………………………………..

Segundo turno

Como os institutos de pesquisas já apontavam, Porto Velho terá segundo turno, com o prefeito Hildon Chaves (PSDB) e a vereadora Cristiane Lopes (PP). A incógnita era quem chegaria com a segunda vaga ao segundo turno e a vereadora Cristiane superou seu concorrente direto Vinicius Miguel (Cidadania) na reta final prejudicado e desconstruído numa onda de ataques baixos e de fakes. Uma eleição em que inicialmente projetava o atual prefeito desgastado, que provou o contrário nas urnas e agora  tem folego renovado para alcançar o segundo mandato.

Eleição atípica

Porto Velho vivenciou uma eleição atípica, com a pandemia do coronavirus se agravando e elevado índice de abstenção, sem voto útil e efeito manada como ocorreu nos últimos pleitos gerando grandes reviravoltas. E até a virada de Cristiane Lopes (PP) sobre Vinicius Miguel (Cidadania) já era esperada depois que ela recebeu apoio do deputado federal Leo Moraes (Podemos), inicialmente cotado como favorito na capital e que desistiu da disputa.

Sem surpresas

Sem surpresas também nas eleições municipais no interior do estado. Deu na cabeça Eduardo Japonês (Vilhena), Fúria (em Cacoal), Joãozinho Gonçalves (Jaru), Alex Testoni em Ouro Preto do Oeste. Em Ariquemes onde tivemos a disputa mais intensa do estado, prevaleceu, com apoio do voto evangélico nas urnas, Carla Redano sobre Tziu Jidaias e Lucas Follador (DEM). Em Ji-Paraná o favoritismo de Isaú Fonseca (MDB) foi ratificado pelo eleitorado da capital da BR.  

Câmara de Vereadores

Para a Câmara de vereadores de Porto Velho a surpresa foi o mais votado, o pastor da Universal Vanderlei Silva. Alguns vereadores macacos velhos sucumbiram, mas Marcelo Reis (PSDB) obteve mais um mandato. Só foram reeleitos oito vereadores, mais da metade do legislativo foi renovado. Os comunicadores se deram mal, nem o nosso colega de SGC Rosinaldo Guedes logrou a eleição, tampouco o veterano Arimar de Sá, e o Homem do Tempo chegaram lá. Nomes bem cotados como Alisson Sandubas (PSDB), a ativista Luciana (PT), e o fanático hildista Buiú Lourenço (PSD) ficaram para trás. 

Cotadas para vices

Uma das curiosidades desta eleição no estado é que a vereadora Carla Redano de Ariquemes chegou a ser indicada para vice de Tziu Jidaias sendo rejeitada e acabou ganhando o pleito na capital do Vale do Jamari. Em Porto Velho, a vereadora Cristiane Lopes (PP) foi cogitada para vice do prefeito Hildon Chaves (PSDB), foi rejeitada e agora será sua adversária no segundo turno. Lembrando que videntes previam há meses que a capital elegeria sua primeira prefeita em 2020 e a coisa foi considerada absurda. Cheguei a noticiar nesta coluna a previsão. Será…?

 

Via Direta

*** Preso recentemente em operação da Policia Federal, o ex-deputado estadual Daniel Nery, marido da prefeita Glaucioni, usou a mesma alegação com relação aquela em que foi preso na Operação Dominó, há década atrás *** Com isto, alegando de novo ter contraído câncer, foi solto usando tornozeleira *** No próximo golpe deste inveterado e renitente corrupto a desculpa será a mesma? *** O MDB com forte tradição, que já elegeu Valdir Raupp e Confúcio ao governo do estado duas vezes, fez vexame na eleição em Porto Velho *** O candidato do partido, Williames Pimentel caiu pesadamente, mesmo com boas propostas apresentadas no horário eleitoral *** O deputado Alex Redano, futuro presidente da Assembleia Legislativa está sorrindo de orelha a orelha com a eleição a sua esposa Carla em Ariquemes.


Deixe o seu comentário

sobre Carlos Sperança

Um dos maiores colunistas político do Estado de Rondônia. Foi presidente do Sinjor. Foi assessor de comunicação do governador José Bianco entre outros. Mantém uma coluna diária no jornal Diário da Amazônia.

Arquivos de colunas