Porto Velho/RO, 30 Julho 2020 01:22:34

CarlosSperança

coluna

Publicado: 30/07/2020 às 01h21min | Atualizado 30/07/2020 às 01h22min

A-A+

Possível desistência de Hildon Chaves agita o ninho dos tucanos com várias opções

A maconha avança São duas notícias – qual irá circular mais rápida e amplamente? A primeira informa sobre pesquisas para achar a..

A maconha avança

São duas notícias – qual irá circular mais rápida e amplamente? A primeira informa sobre pesquisas para achar a cura de diversas doenças com princípios ativos de produtos naturais da Amazônia. A segunda, que recentes plantações de maconha na região têm o tamanho de 20 campos de futebol.

Esta última será mais comentada e difundida, mas só a primeira é recente: trata de pesquisas novas em andamento. A segunda apenas requenta um velho assunto.  A maconha está sempre presente por haver produção, consumo e uma política antidrogas pífia, que jamais se mostrou realmente efetiva. Aliás, as políticas públicas no Brasil nunca foram uma unanimidade: os governados duvidam, quem governa as glorifica.

Menos destacada ainda que as duas notícias mencionadas é a informação de que a Embrapa Amazônia Ocidental descobriu bactérias e fungos com grandes chances de originarem produtos importantes sobretudo nas áreas médica e agropecuária, mas também em diversos outros campos do interesse industrial.

Notícias, em tempos de redes sociais impactantes e lacradoras, valem mais pela emoção que causam que pela utilidade: os berros de um político boquirroto ofendendo inimigos e instituições ganha manchetes. No entanto, cedo ou tarde vai prevalecer a longa, paciente e criteriosa pesquisa em busca do que amanhã será de fato relevante.

……………………………………………………..

Os negócios

Envoltos com a pandemia do  coronavirus, surpreendentemente os estados do Amazonas, Acre e Rondônia vivem um grande momento para os negócios imobiliários. Vários lançamentos de prédios, condomínios de luxo e de casas populares foram bem sucedidos e muitos estão programados para serem entregues ainda neste final de ano. O sucesso também teve bons reflexos nas vendas das casas de materiais de construção nestes estados.

A substituição

O pano nos bastidores na quarta-feira era que o prefeito Hildon Chaves (PSDB) faria uma rápida viagem nos próximos dias e na volta anunciaria sua desistência do seu projeto de reeleição. Neste caso assumiria a condição de candidato a prefeito dos tucanos o vereador Mauricio Carvalho, ex-presidente da Câmara de Vereadores, mano da deputada Mariana e filho do ex-vice governador Aparício. Nos tucanos não faltariam opções na subsittuição, pois se Mauricio cair fora, ainda tem o ex-prefeito José Guedes.

Os gafanhotos

 Com os gafanhotos atacando a plantações de maconha do Paraguai, o grande exportador para a região, a erva seguramente poderia ficar mais cara para os consumidores de Porto Velho, Rio Branco e Manaus. Mas rolou o jeitinho brasileiro, aquele  jeitinho macaxeira para resolver o problema de abastecimento aos “noiados”, com os produtores regionais aumentando o plantio da erva na região Norte. Peço bom, safra boa. Não é coisa de louco?

Fala Vidente!

 O conhecido guru que fez temporada em Porto Velho  com sua tenda instalada no Jardim  Santana, antes da pandemia, garantiu que não dá outra nesta jornada eleitoral na capital rondoniense: uma mulher será eleita prefeita, depois de cem anos, já que nenhuma foi eleita alcaide ainda por aqui. Se o vidente   acertar na tal previsão, vai deixar todo mundo doido, pois não existe nenhuma mulher considerada favorita neste pleito até agora.

A clarividência

 A propósito das ações de bruxos e videntes em nossa aldeia, os magos da clarividência nunca se deram bem por aqui. O falecido Odacir Soares acreditava muito naquele vidente do ex-presidente Color de Melo, mas só colecionou decepções. Ambos se estreparam com aquele bruxo da moda, cantado em prosa e verso em Brasília. E quem não lembra que os videntes  em décadas passadas afirmavam com convicção que o governador  eleito seria Natanael Silva num pleito em que Ivo Cassol bamburrou?

 

Via Direta 

*** Com tubulações ultrapassadas, implantadas há quase três décadas se vê Porto Velho numa triste situação com as fezes pululando nas ruas e avenidas*** Sem rede de esgoto, a capital terá o saneamento básico como o seu maior desafio para a próxima administração já que a atual não conseguiu avançar neste quesito*** Ninho de coronavirus em muitos estados os frigoríficos estão sendo alvo de seguidas intervenções da justiça. É o caso do Paraná, grande produtor de frangos e suínos ***Segue uma estiagem daquelas, com o nível dos rios e igarapés baixando drasticamente na região de Porto Velho *** É preocupante a nova onda de esvaziamento dos pontos comerciais nas avenidas Sete de Setembro, Carlos Gomes e Calama na região do centro histórico de Porto Velho *** Como consequência vieram as demissões e uma elevada taxa de desemprego no segmento lojista da capital rondoniense.


Deixe o seu comentário

sobre Carlos Sperança

Um dos maiores colunistas político do Estado de Rondônia. Foi presidente do Sinjor. Foi assessor de comunicação do governador José Bianco entre outros. Mantém uma coluna diária no jornal Diário da Amazônia.

Arquivos de colunas