Porto Velho/RO, 20 Julho 2020 09:18:16

JoséLuiz

coluna

Publicado: 19/07/2020 às 06h00min | Atualizado 20/07/2020 às 09h18min

A-A+

Produção de bovinos em áreas indígenas tem impacto negativo

Impacto negativo  Mesmo que a denuncia da Anistia Internacional dando conta que áreas indígenas e de preservação ambiental estão..

Impacto negativo 

Mesmo que a denuncia da Anistia Internacional dando conta que áreas indígenas e de preservação ambiental estão sendo devastada para a produção de bovinos, em Rondônia não seja verdadeira, com o desmentido do Secretário de Agricultura, Evandro Padovani e da empresa JBS, de que estaria abatendo e comercializando a carne de animais criados de maneira irregular, o estrago na imagem deste estado e da Amazônia, mais uma vez foi atingida de maneira irremediável. De uma forma ou de outra, o episódio exige a bem da verdade, uma investigação profunda, pois não é justo, que até por interesses desconhecidos o estado pague um preço tão elevado. 

Regularização fundiária 

Ao participar do programa “Campo e Lavoura” na Rede TV! O Superintendente Estadual de Patrimônio e Regularização Fundiária (SEPAT), Constantino Erwem Gomes de Souza, frisou que o governo do estado aguarda aprovação pela Assembléia Legislativa do projeto que tramita na Casa de Leis para acelerar o processo de regularização fundiária rural no estado. Segundo ele, a regularização fundiária urbana caminha de maneira normal e organizada. No entanto, centenas de pequenos e médios produtores rurais continuam produzindo sem os devidos títulos de suas propriedades muitas delas ocupadas a mais de 40 anos. 

Otimismo na crise 

O Superintendente do SEBRAE, Daniel Pereira fala com otimismo sobre o projeto incrementado entre a instituição que administra e Ministério Público do Trabalho para capacitar 60 mil jovens empreendedores rurais e urbanos no estado de Rondônia. A parceria no valor de R$ 2 milhões para aquisição de material pedagógico e capacitação empreendedora, cujos recursos já estão no caixa aguarda somente o recuo do coronavirus para iniciar os trabalhos de campo. 

Quinta do boi 

O empresário rural e leiloeiro oficial de Rondônia, Valmir Ramalho, a partir de agosto estará realizando via online todas as últimas quinta-feira de cada mês sempre a partir das 19 horas um leilão virtual comercializando bovinos e equipamentos rurais. Valmir sustenta que vem recebendo incentivo de pecuaristas e comerciantes interessados em participar dos eventos, que surge como uma inovação na área do agronegócio em Rondônia. 

Piscicultura em Porto Velho 

O médico veterinário, Carlindo Pinto Filho, especialista em piscicultura, que vem trabalhando juntamente com técnicos da prefeitura na implantação de um pólo para a produção de peixes (tambaqui e pirarucu) em Porto Velho, aposta no sucesso desta empreitada, tendo em vista que existe mercado para o desenvolvimento do pescado em sistema de cooperativa. Os investimentos e projetos são da prefeitura executados pela Secretaria Municipal de Agricultura. 

Tocaram fogo no planeta 

Na madrugada de sexta-feira (17), Porto Velho estava coberta de fumaça, parecia até que haviam tocado fogo no planeta. As queimadas provocam além do desagrado pelo odor, prejudica a visibilidade, assim como saúde de idosos e crianças. Enfim, todos pagam por esse desrespeito a natureza.      

Finalizando 

Vou ficando por aqui, em épocas de pandemia o bom é não colocar o nariz para fora, usar máscaras, ouvir muito e falar pouco. Boa leitura e bom final de semana.


Deixe o seu comentário

sobre José Luiz Alves

Colaborador do Diário da Amazônia - José Luiz Alves, é jornalista. Apresenta aos sábados das 6h às 8h na Rede Tv Rondônia! o programa Campo e Lavoura, com informações ao homem do campo e produtores rurais, em cadeia com seis emissoras de rádios para todo o Estado de Rondônia.

Arquivos de colunas