Porto Velho/RO, 20 Setembro 2021 13:21:32
Polícia

Produtor de eventos perde R$ 10 mil em golpe do cartão

Vendedor ambulante disse que maquininha estava com defeito e trocou cartão, segundo a vítima

A-A+

Publicado: 20/09/2021 às 13h21min

Foto: Divulgação

O produtor de eventos Arthur Cobat levou um prejuízo de cerca de R$ 10 mil após cair no golpe de um vendedor ambulante na região da Savassi em uma madrugada do último final de semana, conforme relatou em suas redes sociais. Ele conta que comprou uma cerveja na área próxima aos restaurantes Rei do Pastel e Santeria, nos arredores da rua Fernandes Tourinho, e que, no momento de pagar, o vendedor disse que o cartão não estava passando na maquininha e que iria buscar outra. O cartão que o homem deixou com Arthur depois do pagamento, porém, era de outra pessoa, do mesmo banco do produtor.

“Na hora em que vi que estava com o cartão de outra pessoa, começaram a aparecer várias notificações no app do banco com um monte de compra alta em um hotel”, diz. Ele relata que correu para o carro de amigos para bloquear o cartão com calma, mas sua bebida havia sido batizada por alguém com alguma substância que o deixou “muito lerdo”. Ainda assim, todo o processo, do roubo do cartão ao bloqueio, durou cinco minutos, relembra. Agora, o produtor tenta resolver a questão com o banco, processo dificultado por ser um cartão de débito.

Quando procurou a polícia para abrir um Boletim de Ocorrência, de acordo com Arthur, o militar afirmou que casos do tipo têm se tornado mais comuns. “Eles falaram que está super rolando esse tipo de golpe e Boa Noite Cinderela para poderem assaltar as pessoas também. Só comprem em locais conhecidos”, diz.

A Polícia Civil explica que esse tipo de crime é caracterizado como estelionato e que a vítima deve comparecer a uma delegacia para que a investigação seja iniciada. Uma cartilha da polícia orienta especial atenção ao golpe da troca de cartão em saídas de bancos, por exemplo.

“O golpista observa a vítima em uma agência bancária e a aborda ao sair, informando que houve um erro na transação, solicitando o cartão bancário. Geralmente o criminoso está bem vestido, com camiseta com símbolo do banco ou crachá falsificado. Quando a vítima entrega o cartão, o criminoso rapidamente faz a troca, informando que não há problema algum e vai embora”, descreve. Para evitar o golpe, a polícia recomenda que o cartão seja sempre conferido na devolução e que o cidadão verifique se a senha está sendo digitada na tela correta.

A Delegacia Especializada em Investigação de Fraudes, da Polícia Civil, funciona das 8h às 19h30, na avenida Francisco Sales, 780, no bairro Santa Efigênia. (O tempo)



Deixe o seu comentário