porto velho - ro, 13 Setembro 2019 01:16:57
    Geral

    Produtores comemoram aumento de produção após regularização

    O Programa para Inclusão Produtiva e Segurança Sanitária (Praissan-RO), desenvolvido no ano passado pela Agência Estadual de..

    Por Secom
    A-A+

    Publicado: 17/06/2019 às 15h04min

    Produtores exibindo doces de cocada produzidos em Rondônia. (Fotos: Daiane Mendonça)

    O Programa para Inclusão Produtiva e Segurança Sanitária (Praissan-RO), desenvolvido no ano passado pela Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa), está em plena atividade e busca atender pequenos produtores, além de integrantes da economia solidária (conjunto de atividades econômicas de produção, distribuição, consumo, entre outras, que estão organizadas sob forma de cooperativas, associações entre outras).

    De acordo com Lucia Freitas, inspetora da vigilância Sanitária, com o programa, o governo busca se aproximar ainda mais das dos pequenos produtores, responsáveis por boa parte da produção de alimentos que hoje chegam à mesa das famílias.

     “Nós estamos iniciando um trabalho que busca legalizar esses produtores, para que eles possam produzir com qualidade, segurança sanitária, produtos com rotulagem, entre outros aspectos. É uma forma de valorizar esses produtores”, destacou Freitas.

    Segundo ela, estando de acordo com as normas da vigilância sanitária, que incluem cuidados com boa higiene e manipulação dos produtos, as famílias produtoras acabam sendo beneficiadas. “Eles vão gerar mais renda e, ainda, empregar outras pessoas. Vão ter seguridade social e aumento na produção. Com as orientações da Agevisa, muitos conseguiram expandir as vendas para todo o estado”.

    Regularizados, os produtores aumentaram a produção(Fotos: Daiane Mendonça)

    Elianete Gomes Fernandes, da comunidade Terra Santa, está entre os beneficiados. Há 8 anos ela trabalha com a produção de cocadas e, após a regularização, a produção de doces subiu de 20 mil para mais de 50 mil por mês. Segundo ela, muitos produtores acabam entrando no negócio sem procurar orientações. O que não é recomendado.

    “A maioria dos produtores temem a visita da Agevisa porque acham que eles vão fechar o local, e acabam perdendo orientações importantes. Eles nos orientam sobre tudo, se a forma de produção está correta, se a estrutura é adequada. Eu já mexia com doces há anos, mas não sabia como proceder para conseguir a regularização, mas agora eu aprendi”.

    As equipes já visitaram algumas comunidades e estão colhendo dados para o projeto por meio do cadastramento das empresas. A expectativa é que nos próximos meses o Praissan regularize e beneficie mais produtores em Rondônia.

    “O produtor que tiver alguma dúvida sobre assuntos voltados à produção, normas sanitária,s entre ouros aspectos, deve procurar a Agevisa ou as vigilâncias municipais. Dessa forma todos saem ganhando. A economia do Estado melhora, o produtor aumenta a produção e ganha novos clientes, e a população garante o acesso a produtos totalmente naturais e de qualidade, entre outros benefícios”, finalizou a inspetora da Agevisa, Lúcia Freitas.



    Escreva um comentário