porto velho - ro, 12 Setembro 2019 17:41:28
    Geral

    Professora joga água em aluna desmaiada em escola

    Estudante conta que estava brincando quando bateu de cabeça em uma amiga. Ela estava muito tonta para se levantar quando a professora chegou

    A-A+

    Publicado: 23/08/2019 às 11h59min | Atualizado 23/08/2019 às 14h13min

    Vídeo mostra professora jogando água em aluna desmaiada
    Reprodução Record TV

    Um vídeo de uma professora jogando água em uma aluna, de 12 anos, que estava passando mal, viralizou na internet. O caso aconteceu em uma escola estadual na região da avenida Paulista, em São Paulo, durante o final da aula de educação física. As informações são da Record TV.

    Uma aluna começou a gravar um vídeo por acaso e flagrou a cena. No chão está uma menina aparentemente desmaiada, com várias colegas ao redor e uma professora em pé com uma garrafinha de água. Depois de alguns instantes a professora começa a derramar o líquido em cima da estudante.

    A menina conta que estava brincando de bambolê, quando bateu de cabeça com uma amiga e caiu no chão. Ela ainda estava tonta para conseguir levantar quando a professora chegou.

    A mãe da vítima acusa a docente de praticar bullying. Após o episódio, a estudante estaria sendo perseguida pela professora e por outros alunos. A aluna não está mais conseguindo frequentar as aulas por causa dos ataques. Cícera registrou dois boletins de ocorrência, um de maus tratos, contra a professora e outro de injúria, por conta dos assédios feitos pelos colegas.

    Em áudios divulgados, alunos afirmam que a professora proibiu o uso da quadra depois do ocorrido e colocou a culpa na garota, gerando revolta na classe que começa a hostilizar a menina. Em outro áudio, enviado pela vítima para sua mãe, a aluna pede para ser buscada na escola pois os colegas estariam “xingando” ela.

    A neuropsicóloga Deborah Moss afirma que já passou da hora dos professores entenderem que bullying não é brincadeira e nem coisa de criança. A prática pode afetar a autoestima, aumentar a insegurança, levar a um isolamento da vítima chegando até à depressão.

    Em nota, a Secretaria da Educação disse que vai apurar os fatos e que a direção da escola está em constante contato com a mãe da estudante. Até o momento, a professora não foi punida.

    Fonte: R7



    Escreva um comentário