porto velho - ro, 18 Março 2019 13:41:32

Felipe José

coluna

Publicado: 08/10/2018 às 13h44min

A- A+

Promessas: Será que o Brasil muda desta vez?

A resposta do povo depois de tanta"corrupção" está vindo das urnas

Deputado Federal, Estadual, Senador, Governador e enfim Presidente. Esses foram os “concorridos” cargos que serão preenchidos em janeiro de 2019 por novos, mas “infelizmente”, antigos nomes da nossa “classe” política. Com a esperança de melhorias, 200 milhões de brasileiros foram as urnas no dia 7 de outubro esperando que a partir desses representantes, o Brasil tome um novo rumo e volte a brilhar nas páginas dos jornais e da mídia internacional. No entanto, como o país do futebol, das grandes oportunidades e não mais da “corrupção”.

Mas será que podemos acreditar em melhorias, ou teremos uma espécie de “Déjà vu” na política? Dos candidatos que já se elegeram, alguns chegam com a proposta de renovação, de melhorias para o país. Outros voltam, como, por exemplo, Deputado Federal/Estadual (por mais um mandato) usando o mesmo discurso “demagogo” de sempre. Prova disso foi que alguns políticos tiveram a “cara de pau” de mudar (há mais ou menos dois anos), apenas o nome do partido político para não perder a “boquinha” na Câmara dos Deputados. Não sei se podemos confiar em quem não fez nada para o povo. Você confiaria? Eu não!

O problema é que o Brasil enfrenta uma situação nada agradável em termos de política, tanto que a resposta já está vindo das urnas. Partidos antigos acabaram tomando um susto ao não elegerem candidatos que tinham “no passado” o apoio massivo do povo. Alguns candidatos ao Senado, “por exemplo”, usaram como promessa benefícios que seus antigos “líderes” davam ao povo, como “bolsa isso e bolsa aquilo”. Não funcionou. Todavia, outros conseguiram (não sei como) se reeleger e manter o emprego de suas equipes “puxa saco” que nada fazem por nós. Mas na próxima não conseguirão se reeleger, tenho certeza que os eleitores darão a reposta na medida certa!

O fato é que o povo brasileiro surpreendeu os novos e antigos candidatos elegendo nomes que nunca vimos. No entanto, poderemos ter ainda mais renovação, já que em alguns Estados haverá o segundo turno para Governador. Lembrado que teremos ainda a votação para Presidente. Desta vez a sociedade poderá mostrar que não aceita mais os mandos e desmandos de “representantes” não fazem nada por nós. Ou seja, dos políticos que além de desviar “verbas”, não melhoraram a vida do trabalhador e contribuinte que paga impostos “altíssimos” para sobreviver.

Abra o olho

Infelizmente teremos que conviver com “antigos políticos” que nada fizeram por nós em seus antigos mandatos. Poucos e honrados nomes que eu conheço conseguiram se reeleger por fazer um trabalho digno, de verdade para o povo. Esses eu parabenizo! Todavia, vi nomes que não fizeram nada, absolutamente nada, conseguindo a reeleição. Lamentável!  No entanto, acredito que no próximo “pleito” essa situação mudará. Como o povo está eliminando “raposas” da politica, com certeza Deputados Federais e Estaduais que enganam o povo terão a sua vez. A mudança é necessária, por isso, você que se reelegeu (e nada fez no seu antigo mandato), não tente dilubriar o povo mais uma vez, pois sua hora também vai chegar. Promessas: Será que o  Brasil muda desta vez? A resposta do povo depois de tanta “corrupção” está vindo das urnas. Pense nisso.


Escreva um comentário

sobre Felipe José de Jesus

Sociólogo, Jornalista, Mestre em Comunicação Social: Jornalismo e Bacharelando em Direito. Como jornalista atuou em diversas editoras como: economia, política e também cultura em jornais impressos e portais. Passou também por assessorias de imprensa privada, prefeituras e em uma secretaria do Governo mineiro. Atualmente apoia o jornal Brasil Agora como editor. Com o mestrado deu aula na ESABI para a disciplina de Metodologia Científica e deu aulas particulares para alunos do curso de Psicologia da Faculdade de Estudos Administrativos de Minas Gerais (FEAD). Atualmente como Sociólogo prestou consultoria para uma ONG desempenhando o trabalho de pesquisas de campo: opinião pública: social e comportamento. Faz parte da Sociedade Brasileira de Sociologia (SBS) como afiliado e em 2016 prestou serviço de assessoria e planejamento de equipe para partidos políticos nas eleições municipais. Suas vivências acadêmicas passaram pela Faculdade Estácio de Sá (FESBH); Faculdade Polis das Artes (FPA); Universidad Europea Miguel de Cervantes (UEMC) e Universidade Uniesp.

Arquivos de colunas