Porto Velho/RO, 21 Maio 2020 23:51:58
Saúde

Protocolo do governo sugere cloroquina em casos leves

O Ministério da Saúde divulgou hoje um protocolo para aplicação da cloroquina e hidroxicloroquina em pacientes em todos os casos,..

A- A+

Publicado: 20/05/2020 às 09h31min | Atualizado 20/05/2020 às 09h33min

Foto: Reprodução – 20.mai.2020/ Ministério da Saúde

O Ministério da Saúde divulgou hoje um protocolo para aplicação da cloroquina e hidroxicloroquina em pacientes em todos os casos, inclusive em caso de sintomas leves, para tratar do novo coronavírus. O protocolo é uma orientação para a rede pública de saúde.

O uso do medicamento é defendido pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e foi ponto de divergência com o ex-ministro da Saúde Nelson Teich, que deixou o cargo na semana passada. O protocolo foi publicado no momento em que o ministério é comandado interinamente por Eduardo Pazuello.

Pesquisas não comprovam a eficiência da droga e indicam risco em ministrá-la.

Termo de consentimento

Segundo o protocolo, “a prescrição de todo e qualquer medicamento é prerrogativa do médico”. O texto também diz que o paciente vai ter que assinar o termo de consentimento a respeito da aplicação de cloroquina e hidroxicloroquina no tratamento.

O termo indica que “a cloroquina e a hidroxicloroquina podem causar efeitos colaterais”, citando disfunção cardíaca e alterações visuais, por exemplo.

Os dois remédios têm formulações diferentes, mas que levam a mesma substância, a cloroquina. Os benefícios clínicos são parecidos, mas os efeitos adversos não. A hidroxicloroquina é considerada um pouco mais segura, com menos efeitos colaterais.

O termo de consentimento salienta que “não há, até o momento, estudos demonstrando melhora clínica dos pacientes com covid-19 quando tratados com hidroxicloroquina”.

Sintomas leves e protocolo

Entre os sintomas leves listados pelo governo, estão coriza, diarreia, dor abdominal, febre, tosse, entre outros.

A aplicação indicada da cloroquina é de 450 miligramas a cada doze horas no primeiro dia. A mesma quantidade poderá ser usada a cada 24 horas do segundo ao quinto dia de tratamento.

O medicamento deverá ser usado junto com a azitromicina, com uma dose de 500 miligramas, uma vez ao dia, por cinco dias.

Outra possibilidade de tratamento para sintomas leves indicada pelo protocolo é combinar a azitromicina com sulfato de hidroxicloroquina. A dose seria aplicada nos mesmos períodos da cloroquina, mas em uma quantidade menor, de 400 miligramas.

O protocolo também aponta o mesmo uso desses medicamentos para sintomas moderados, como tosse e febre persistentes.



Deixe o seu comentário