porto velho - ro, 01 Novembro 2019 21:15:05

    CarlosSperança

    coluna

    Publicado: 05/10/2019 às 09h05min

    A-A+

    Quando se fala em “Amazônia” pelo mundo afora

    Que venham os bilhões Quando se fala em “Amazônia” pelo mundo afora, a primeira e justa definição que ocorre é: inestimável. Para..

    Que venham os bilhões

    Quando se fala em “Amazônia” pelo mundo afora, a primeira e justa definição que ocorre é: inestimável. Para o clima do planeta, a economia, o progresso e o orgulho das nações que a compartilham, é impossível fixar um valor para ela. Nem todo o PIB da Terra, cerca de US$ 60 trilhões, dá conta de expressar quanto à região vale para a humanidade.

    A simples menção à floresta evoca somas importantes, como centenas de milhões de dólares consideradas esmolas e rejeitadas pelo governo federal, como se não estivesse necessitado de todo investimento possível para alavancar seu desenvolvimento. 

    Destemperos verbais e má diplomacia já fizeram pó de fortunas que poderiam produzir de imediato bons efeitos em preservação e exploração sustentável, animando a economia quase parada do país, mas há perspectivas fantásticas de atração de recursos para múltiplas ações de governos e de ongs com bons projetos e potencial para arrecadar somas volumosas.

    Do alto de sua expertise, o ex-ministro Henrique Meirelles alertou que há dinheiro de sobra no mundo e o Brasil deveria ter uma estratégia amigável para atrair tais investimentos. O Banco Mundial, o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e a ong Conservação Internacional decidiram doar R$ 2 bilhões de reais para o reflorestamento. Que esses e muitos outros bilhões cheguem trazendo progresso é o mínimo que se pode pretender.

    ………………………………………

    Carta na manga

    O prefeito Hildon Chaves (PSDB) já esta usando uma das suas cartas na manga para seu projeto de reeleição. Trata-se da regularização fundiária, aquele mesmo fundamento que foi decisivo na reeleição do então prefeito petista Roberto Sobrinho (PT). São moradores de vários bairros recebendo os titulos e, como se sabe, as familias sempre se mostram gratas nos pleitos eleitorais com tal modalidade de benesse.

    Êxodo rural

    Segue o êxodo rural para as principais cidades polos de Rondonia, que são Porto Velho, Ariquemes, Jaru, Ji-Paraná, Cacoal, Vilhena e Rolim de Moura. Como consequencia se vê um esvaziamento populacional em algumas localidades do cone sul rondoniense e da Zona da Mata. Outra região recebendo levas de migrantes do próprio estado é a de Nova Mamoré, na fronteira com a Bolívia.

    Fora das paradas

    Os ex-prefeitos de Porto Velho, Sebastião Valadares, José Guedes, Roberto Sobrinho e Carlinhos Camurça estão fora das paradas de sucesso e nem cogitam o retorno à prefeitura de Porto Velho no pleito do ano que vem. O único dos ex- se movimentando para o embate de 2020 é o ex-prefeito e atual deputado federal Mauro Nazif (PSB) numa revanche contra o atual alcaide Hildon Chaves (PSDB).

    De mudança

    O Diretório Estadual do PDT esta trocando sua antiga sede, no bairro Liberdade, para novas instalações no bairro São Cristovão visando melhor atender seus quadros e já se preparando para as eleições municipais do ano que vem. A agremiação, liderada no estado pelo senador Acir Gurgacz e deputada federal Silvia Cristina, deverá contar com candidatos próprios nos principais colégios eleitorais do estado, inclusive na capital.

    Os indícios

    Alguns indicios apontam que o atual presidente da Assembléia Legislativa Laerte Gomes (PSDB) entra mesmo na peleja pelo Palácio Urupá, sede da prefeitura de Ji-Paraná, contando com o apoio do ex-senador Expedito Junior, do senador Marcos Rogério (DEM) e de uma penca de partidos aliados. Além da divulgação de pesquisas favoráveis, Laerte se mostra bem mais presente em Jipa nos finais de semana. Teria dessistido do CPA? Adiado o projeto?

    Via Direta

    *** O Acre já garantiu com o governo Bolsonaro três bases especiais do Ministério da Justiça para combater o narcotráfico internacional em suas fronteiras*** O vizinho estado como se sabe, faz divisas com países exportadores de cocaina e se trasnformou num dos grandes corredores dos traficantes bolivianos e peruanos*** Os dirigentes do PC do B começam as tratativas para alianças visando às eleições municipais do ano que vem em Rondônia*** O ex-deputado Jesoino Borabaid, atualmente suplente, deve assumir uma cadeira na Assembléia Legisaltiva em janeiro graças a uma licença do titular eleito pela sua coligação*** Os derrotados na eleição de 2018 seguem em “quarentena”. Raupp e Maurão ainda estão sumidos dos fronts lambendo as feridas das derrotas.

     


    Escreva um comentário

    sobre Carlos Sperança

    Um dos maiores colunistas político do Estado de Rondônia. Foi presidente do Sinjor. Foi assessor de comunicação do governador José Bianco entre outros. Mantém uma coluna diária no jornal Diário da Amazônia.

    Arquivos de colunas