Porto Velho/RO, 15 Setembro 2020 09:24:04
Economia

Renegociação de dívidas fica em segundo plano

51,2% dos respondentes não chegou a negociar nenhum pagamento de suas despesas

Por Redação / Diário da Amazônia
A-A+

Publicado: 15/09/2020 às 09h23min

O volume de brasileiros com dívidas aumentou atingindo 67,4%, é o que aponta a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC) realizada em julho.

De acordo com a pesquisa uma das causas de parte dos endividamentos é que poucas pessoas sabem que é possível renegociar algumas despesas e dívidas.

Outra pesquisa realizada pela Mobills, startup de gestão de finanças pessoais, entre os dias 2 e 13 de julho com mais de 1.500 usuários da plataforma, demonstrou que 51,2% dos respondentes não chegou a negociar nenhum pagamento de suas despesas.

Desse perfil, 11,4% cancelaram os serviços que pagavam anteriormente, ou seja, preferiu não negociar valores, e outros 11,3% deixaram de pagar e se tornaram inadimplentes. A maior parte dessa fatia, 28,5% não renegociou as despesas, mas seguem adimplente.

Já os outros 48,8% dos respondentes afirmaram que negociaram algum tipo de pagamento ou dívida nos últimos meses – deste total, 35,9% continuam pagando o valor negociado e 12,9% retomaram o pagamento integral.

Para negociar uma dívida o primeiro passo é conhecer o valor real que ela se encontra, ou seja, o valor da sua despesa somado com os juros. Parece simples, mas muitas pessoas sequer conhecem qual a taxa de juros que incide sobre seus pagamentos. Outra dica super válida é organizar as dívidas por ordem decrescente das taxas de juros, priorizando o pagamento das que possuem os juros mais altos antes.

 



Deixe o seu comentário