porto velho - ro, 11 Dezembro 2018 15:19:21

Carlos Sperança

coluna

Publicado: 22/11/2018 às 07h47min

A- A+

Rondônia conseguiu renovar sua bancada federal com qualidade

Aquabrás e governo bandido O futuro ministro Sergio Moro, disse que não gosta da desculpa mais usada pelos novos governantes quando..

Aquabrás e governo bandido

O futuro ministro Sergio Moro, disse que não gosta da desculpa mais usada pelos novos governantes quando assumem: sem aplicar as soluções que durante a campanha eleitoral garantiram ter para os problemas, passam o mandato alegando ter recebido uma “herança maldita”.

O presente, no entanto, é a continuação do passado e das ações atuais virá o futuro. Que herança a próxima geração de brasileiros dirá ter recebido de nós? Será bendita se forem atendidos os padrões de bioética, assunto do professor Philip Martin Fearnside,ao falar recentemente na Universidade Federal de Mato Grosso sobre os impactos das hidrelétricas.

Descuidar da bioética – aliás, da vida, da ética e da ciência em geral – viabilizará a herança de fato maldita de uma Amazônia governada por bandidos, em irreversível desertificação e com água vendida a peso de ouro, como na distópica animação Uma História de Amor e Fúria, de Luiz Bolognesi.

Na ficção, um índio Tupinambá encantado em pássaro transita por 600 anos de uma trágica história do Brasil, na qual o povo sempre perde. Em 2096, o herói combate os milicianos da Aquabrás, empresa concessionária do monopólio da água brasileira. Como se trata do futuro, o lado vencedor dessa batalha será determinado pelo que for feito a partir de agora. ………………………………………..

Prefeitos urrando

Se de um lado, o governo de Rondônia, encera seu ano fiscal com louvor, quitando o salário do mês de dezembro e décimo terceiro, de outro lado a maioria dos prefeitos rondonienses está urrando. Exceto algumas municipalidades mais abastadas, o municipalismo sofre com a crise, sem recursos para investimentos em áreas essenciais como saúde e infraestrutura.

Com qualidade

Rondônia conseguiu renovar sua bancada federal com qualidade nas eleições de outubro. Na Câmara dos Deputados, por exemplo, o deputado estadual Leo Moraes (Podemos), o ex-prefeito Mauro Nazif (PSB), a advogada Jaqueline Cassol (PP), a combativa vereadora Silvia Cristina (PDT) vão garantir mais produtividade rondoniense naquela Casa de Leis.  

A recuperação

Aos poucos o atual presidente da Assembleia Legislativa Maurão de Carvalho (MDB) vai se recuperando da derrota na peleja ao governo do estado em outubro passado. Foi uma campanha que abalou muito o parlamentar, com quase 30 anos de vida publica, arrastado para baixo pelo clã Raupp e largado sozinho para pagar as dividas do MDB.

Pão da boca

Já, o tucano Expedito Junior, se mostra bem mais conformado com o resultado das urnas no segundo turno. Ele que foi abatido pela Onda Lula, perdendo uma cadeira ao Senado para Fátima Cleide na década passada jamais poderia esperar que outra onda, a do Bolsonaro, lhe tirasse o pão da boca no pleito 2018. Como elegeu o filho a federal e mantém a prefeitura da capital, Junior fica por cima da carne seca.

Menos energia

A elevada degradação da floresta amazônica projeta para anos futuros uma significativa queda da produção de energia nos estados da região norte. Conforme as estimativas dos cientistas brasileiros, as usinas mais atingidas com as mudanças climáticas serão Belo Monte (Pará) e Santo Antonio (Rondônia) que poderão perder até a metade da capacidade para a qual foram construídas.

Via Direta

*** A saúde continua sendo o calcanhar de Aquiles da administração Hildon Chaves na capital rondoniense *** Infelizmente, o problema atinge a maioria dos municípios brasileiros *** Com atuação, majoritariamente deficiente, a atual legislatura da Câmara de Vereadores de Porto Velho será presa fácil dos opositores na eleição de 2020*** Poucos edis se destacam com honradez e eficiência, naquele verdadeiro balaio de maçãs podres *** Renovação, please!   

 


Escreva um comentário

sobre Carlos Sperança

Um dos maiores colunistas político do Estado de Rondônia. Foi presidente do Sinjor. Foi assessor de comunicação do governador José Bianco entre outros. Mantém uma coluna diária no jornal Diário da Amazônia.

Arquivos de colunas