Porto Velho/RO, 31 Agosto 2021 11:15:10

SolanoFerreira

coluna

Publicado: 28/08/2021 às 08h58min

A-A+

Rondônia entre o aumento da população e o crescimento da pobreza

Os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) , indicando o crescimento da população de Rondônia que atingiu a..

Os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) , indicando o crescimento da população de Rondônia que atingiu a cifra de 1,8 milhão de habitantes é positiva, apesar de ter causado espanto em alguns especialistas que acreditam numa estagnação devido a fuga de rondonienses para o Sul do Amazonas, Sul do Pará e para outros países, principalmente aos Estados Unidos. Apesar dessas perdas, tudo indica que Rondônia foi beneficiada com novas natalidades e com achegada de migrantes e imigrantes.

O aumento da população traz certo otimismo considerando que uma população eleva quando existem oportunidades para crescimento socioeconômico. Rondônia está fortalecida com o agronegócio que não para de crescer e com outros segmentos como a mineração, agroindústrias e o tradicional giro econômico impulsionado pelos salários dos servidores públicos. Um outro indicador positivo é a valorização imobiliária que avançou bastante com imóveis a preços milionários,

De outro lado, Rondônia precisa se preocupar com outro dado que também foi divulgado nesta semana. Trata-se o crescimento da pobreza que foi percebido em 24 estados da Federação. A crise gerada pela pandemia do novo coronavirus e a mudança do sistema comercial que tornou as vendas mais on lines do que presenciais, provocaram demissões ou mudanças de ações de trabalho e emprego. 

De acordo com a Fundação Getúlio Vargas (FGV) a pobreza cresceu no País inteiro e Rondônia também sente esse reflexo. A pobreza atinge 31% da nossa população gerando uma grande diferença entre uma classe minoritária que ganha muito e outra grande classe que ganha muito pouco ou quase nada. O alto índice percebido nesse setor social poderia ter comprometido o consumo e gerando alto impacto no comércio regional, no entanto, em virtude daqueles que ganham muito, houve equilíbrio e a economia segue positiva.

O crescimento da pobreza remete aos gestores públicos a necessidade de implantação de políticas públicas que possam minimizar esse impacto e garantir a sobrevivência dessas famílias. É um patamar grande para ser ignorado para que não afeta a cadeia de valor comercial e garanta a segurança alimentar dessas pessoas. Basta uma boa interpretação dos dados para saber a importância das soluções imediatas.


Deixe o seu comentário

sobre Solano Ferreira

Editor-Chefe do Diário da Amazônia. Comunicador Social e Marketing/ Mestre em Geografia. Atua na Gestão Estratégica e Gerenciamento de Crise.

Arquivos de colunas