Porto Velho/RO, 11 Dezembro 2019 17:05:15
    Diário da Amazônia

    Rondônia será beneficiado com projeto de sustentabilidade

    A iniciativa tem como foco as cadeias produtivas da carne, soja e madeira.

    A-A+

    Publicado: 09/12/2019 às 19h04min

    Rondônia é um dos cinco estados que serão beneficiados com o projeto Inovação nas Cadeias Produtivas da Agropecuária para a Conservação Florestal na Amazônia Legal, lançado nesta segunda-feira (9) pela ministra Tereza Cristina (Agricultura, Pecuária e Abastecimento). O objetivo é levar inovação para as cadeias produtivas da carne, soja e madeira para que aumentem a produtividade e valor dos produtos alinhados com o uso sustentável dos recursos naturais e conservação da floresta amazônica. Além de Rondônia, também serão beneficiados os estados do Amazonas, Mato Grosso, Pará e Tocantins. O projeto será implantado de 2020 a 2024.

    As ações buscam criar ferramentas para acompanhar a situação socioambiental dessas cadeias produtivas, gerar agregação de valor aos produtos das setores com bons índices de sustentabilidade e fornecer assistência técnica e gerencial para os produtores com baixos índices de sustentabilidade, segundo o secretário-adjunto de Inovação, Desenvolvimento Rural e Irrigação do Mapa, Pedro Alves Corrêa Neto.

    A iniciativa integra o portfólio de cooperação entre Brasil e Alemanha. O governo alemão, por meio do banco de desenvolvimento do país (KfW), doará 25,5 milhões de euros e o Ministério aplicará 12 milhões de euros. O Mapa gerenciará e monitorará o projeto, o Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA) atuará como agente financeiro e o KfW será a agência financiadora.

    As ações serão executadas por meio de organizações públicas em cooperação com produtores rurais, setor privado e sociedade civil. De acordo com o secretário-adjunto, alguns dos benefícios do projeto são alinhamento da produção com acordos internacionais, rastreabilidade das cadeias produtivas, abertura a novos mercados (internos e externos) e desenvolvimento de iniciativas inovadoras.

    A ministra destacou que o projeto permitirá o acesso dos produtores à tecnologia e melhores práticas de produção, principalmente entre os pecuaristas, incluindo-os no sistema produtivo sustentável. “Não queremos excluir ninguém. Vamos trazer pessoas para que produzam melhor, gerem renda, qualidade de vida e estejam integrados na pecuária sustentável, na madeira sustentável”, disse.

    Fonte: Mapa



    Deixe o seu comentário