Porto Velho/RO, 21 Julho 2020 00:31:04

CarlosSperança

coluna

Publicado: 21/07/2020 às 00h30min

A-A+

Se candidatos da ponteira desistirem, outros nomes devem despontar na capital

Questão de ordem Não fica bem qualificar outras pessoas como desinformadas. Funciona melhor informar que criticar. No entanto, é fato..

Questão de ordem

Não fica bem qualificar outras pessoas como desinformadas. Funciona melhor informar que criticar. No entanto, é fato incontestável que quase todos os que emitem julgamentos e afirmações categóricas sobre a Amazônia partem de informações distorcidas, parciais ou incompreendidas. Ninguém, de fato e à risca, é realmente bem-informado sobre a Amazônia.

Ela é grande, complexa, multifacetada e quase toda ainda desconhecida em múltiplos aspectos. Pode-se até conhecer muito sobre grande floresta tropical, mas a cada dia ela traz novas surpresas. Assim, não se pode supor “mal-informado” quem teme as consequências severas de um processo descontrolado de desmatamento. Seria tolice dizer que o vice-presidente do Brasil e chefe do Conselhão da Amazônia, Hamilton Mourão, seja pouco informado sobre a região. Ele a conhece bem, de longa data e quando afirma que o desmatamento “passou o limite do aceitável”, não há o que discutir.

O trato humano de qualquer bioma está abaixo de normas regulando as ações necessárias em áreas delimitadas para atender a necessidades. Não cumpri-las, desobedecê-las e sabotá-las é no mínimo contravenção que precisa necessariamente ser coibida e cessada. Compreende-se, portanto, como perfeita a decisão de prorrogar até novembro o emprego das Forças Armadas para garantir a lei e a ordem na Amazônia Legal.  

………………………………………………………….

Eleições 2020

Os bastidores políticos em Porto Velho têm verificado com perplexidade o elástico número de possíveis candidatos a prefeitura da capital e isto tem explicações. Em primeiro lugar, mais da metade, na verdade quer ser vice de algum postulante de ponteira e por isto solta seu nome ao vento. Em segundo lugar tem se especulado que os candidatos de ponta que são, Leo Moraes (Podemos) Hildon Chaves (PSDB) e Mauro Nazif (PSB) podem desistir da empreitada.

Tudo japonês

Na política se costuma se dizer que quando os candidatos favoritos ficam fora, tudo fica “japonês”, o que traduzindo numa linguagem menos oriental, tudo fica igual. Mas não é bem assim. Sem Leo, Hildon e Nazif, outros nomes de ponteira vão surgir. A direita e representando o centrão, a vereadora Cristiane Lopes, mais a centro-esquerda Vinicius Miguel (Cidadania). Na esquerda, Samuel Costa (PC do B), Cajui (PT) e Pimenta de Rondônia (PSOL) racham o eleitorado.

Na peleja

Nos últimos dias também se evidenciou no cenário da disputa na capital o ingresso dos nomes de Jayme Gazola (PV), Ruy Motta (PDT) e Willians Pimentel (MDB). Sobre vices ninguém diz nada, só o PC do B já confirmou chapa completa puro sangue, tendo Samuel Costa a prefeito e Francisco Batista Pantera como vice. A convenção do PT já ratificou o nome de Cajuí, mas o espaço para vice ainda não está definido.

Crédito a Caerd 

Na semana passada a Assembleia Legislativa aprovou repasse de recursos para a falida Companhia de Águas e Esgotos de Rondônia-Caerd, ninho de marajás e de indicações políticas de figurões. A companhia realmente precisa de recursos, pois vem sucumbindo com sucessivas crises, mas quem leva vantagem com as verbas é sua alta cúpula, com seus gordos salários se mantendo belos e formosos, como sucuris quando devoram capivaras. E a Caerd despencando.

Tucanos sujos

Os tucanos eram acostumados a se pintar de probos, honestos e transparentes e como seres diferenciados que se achavam se revoltavam ao ser comparados com petistas, emedebistas, pepistas, petebistas, etc, por eles considerados indignos. Pois é, o partido de Expedito Junior foi se desmontando com seus coleguinhas Aécio Neves, José Serra e agora Alckmin, todos entrando na vala comum. Zé Guedes e Aparício que se orgulhavam tanto do tucanato devem estar decepcionados.

Via Direta

*** As autoridades constataram o aumento geométrico do plantio da maconha na Amazônia*** Logo, logo os consumidores da região Norte terão uma “erva” mais fresquinha sem precisar de importar do Paraguai. Só faltava esta, um cinturão verde de maconha. Não temos nem de legumes. *** Com auxilio emergencial do governo Bolsonaro a prefeitura de Porto Velho conseguiu manter em dia o pagamento dos servidores municipais*** E tudo dentro do mês trabalhado como faziam Teixeirão e Chiquilito nos velhos tempos quando existiam calendários antecipados *** Alguns órgãos públicos estão pagando aluguel superfaturado na praça. Vai dar confusão*** Muito figurão de quarentena, muitos vizinho e até parentes. O coronavirus cada vez mais perto, gente. Salve-se quem puder!


Deixe o seu comentário

sobre Carlos Sperança

Um dos maiores colunistas político do Estado de Rondônia. Foi presidente do Sinjor. Foi assessor de comunicação do governador José Bianco entre outros. Mantém uma coluna diária no jornal Diário da Amazônia.

Arquivos de colunas