Porto Velho/RO, 17 Setembro 2021 10:48:38

CarlosSperança

coluna

Publicado: 17/09/2021 às 10h47min | Atualizado 17/09/2021 às 10h48min

A-A+

Se Marcos Rogério assumir um ministério, desocupa a moita para Hildon Chaves

Unicórnios perdidos Se evento raro e positivo é unicórnio e ocorrência agressiva é rinoceronte, o demônio de três chifres é uma..

Unicórnios perdidos

Se evento raro e positivo é unicórnio e ocorrência agressiva é rinoceronte, o demônio de três chifres é uma combinação de crises. O superciclo das commodities e o bônus demográfico foram unicórnios que deveriam beneficiar as elites econômicas e o povo brasileiro, mas resultaram em concentração de renda e, no segundo caso, sem planejamento, em perda total.

O passivo do mau uso dos unicórnios foi o rinoceronte do atraso, cujas patas assolaram a economia e a política com instabilidade e polarização. Sob os estragos do rinoceronte sobreveio a deposição da presidente Dilma Rousseff, a pandemia e agora o demônio de três chifres representados pelo descuido ambiental, a crise hídrica e a crise energética. Falta chuva porque houve desmatamento desmedido e, assim, o demônio de três chifres vira hidra de quatro cabeças quando até a democracia, maior conquista da civilização, é posta sob graves ameaças.

Não resta outra saída a não ser exigir e apoiar providências para corrigir os problemas animalescos e demoníacos da combinação de crises. Ações ótimas, por exemplo, como o primeiro reflorestamento em Unidade de Conservação, ocorrido na Reserva Rio Preto Jacundá, e a iniciativa que vem da Bahia, pelo Senai Cimatec, de criar mecanismos para estimular o empreendedorismo biotecnológico na Amazônia. Não sendo unicórnios fantásticos, são experiências funcionais e resolutivas.

…………………………………………………………………………….

Troca-troca

Acusada de ter praticado alta traição aos seus antigos aliados, a ex-vereadora Cristiane Lopes, uma política em ascensão em Porto Velho desde a elevada votação a Câmara dos Deputados em 2018, seguindo em alta nas eleições municipais de 2020, mudou de malas e cuia para as asas do governador Marcos Rocha que já toca seu projeto de reeleição com afinco. Com o troca-troca partidário, Cristiane  deixou primeiramente o abrigo no PP de Ivo Cassol que a projetou e depois o refúgio do deputado federal Leo Moraes seu grande alicerce no pleito de 2020. Seria uma mercenária? Uma Dalila política?

Novo caminho

É um exagero a pecha de traíra para Cristiane Lopes, pois ela apenas trocou de endereço. Com Ivo Cassol e Jaqueline ela seria usada como moeda de troca para alianças na capital e o mesmo aconteceria certamente com Leo Moraes, seu mais recente tutor político. Portanto, Cristiane apenas dispensou os intermediários, vendendo o “produto” (seu apoio político) diretamente ao produtor. É bolsonarista, como Ivo e Leo Moraes e não deixou o seu ninho ideológico, já que o governador Marcos Rocha é bolsonarista de raiz, desde os tempos de caserna com o “capetão”.

Haja bolsonarismo!

Por falar em bolsonarismo, haja bolsonarismo na sucessão estadual de Rondônia. A maioria dos pretendentes ao Palácio Rio Madeira se declarou pró-Jair Bolsonaro em vista da popularidade do presidente em Rondônia, um dos três estados mais bolsonaristas do país. Ivo Cassol, Marcos Rocha, Marcos Rogério e Leo Moraes se declaram bolsonaristas. Mas Bolsonaro transferir os votos são outros quinhentos, pois nas eleições municipais de 2020 o candidato do presidente, o deputado Eyder Brasil na capital ficou na rabeira e na maioria dos polos regionais do estado não foram eleitos prefeitos bolsonaristas, como em Vilhena e Ji-Paraná, Jaru, etc.

Dois candidatos

A poderosa coalizão PSDB/DEM/PSD abre a jornada 2022 com dois candidatos ao governo do estado de Rondônia e as duas alternativas só serão analisadas pouco antes das convenções estaduais do ano que vem. Portando, a aliança tem preferencialmente o senador Marcos Rogério (DEM) candidato ao governo com Ieda Chaves a vice ou o prefeito de Porto Velho Hildon Chaves (PSDB) a governo e o ex-prefeito de Ji-Paraná Jesualdo Pires (PSB) cogitado a vice. Em ambas alternativas (fortíssimas, diga-se de passagem), o candidato ao Senado é Expedito Junior (PSDB) que foi padrinho dos dois candidatos em pleitos anteriores.

Uma tendência?

No caso da aliança PSDB/DEM/PSD, aposto na coluna 2, desde já e vou explicar o motivo. Existe grande possibilidade do senador Marcos Rogério (DEM) assumir um Ministério, talvez o Ministério da Amazonia, a ser criado, desocupando a moita para Hildon Chaves (PSDB)e acomodando a situação em  Rondônia com Marcos Rocha. Ademais, o grande defensor de Bolsonaro no Congresso encantou-se com Brasília, onde frequenta diariamente as grandes redes de rádio e televisão e jornais de circulação nacional e se estabelecendo no governo de Rondônia sumiria do plano nacional. Então, minha aposta, é coluna 2, com Hildão na cabeça!

 

Via Direta

*** O deputado estadual Eyder Brasil (PSL-Porto Velho) assumiu a causa da emancipação da Ponta do Abunã, com a criação do município de Extrema,  unindo os distritos de Nova Califórnia, Vista Alegre do Abunã e Fortaleza do Abunã*** Ele lembrou que, sendo criado, o novo município cumpre todos os requisitos para a emancipação, pois até o plebiscito exigido pelo IBGE  já foi realizado em década passada *** Eyder está mobilizando as forças vivas da região para fortalecer a bandeira da autonomia de Porto Velho, cuja sede fica distante quase 350 quilômetros do distrito*** Trocando de saco para mala: a presença das facções criminosas nos grandes conjuntos habitacionais da capital rondoniense está provocando fuga de moradores *** Muitas  famílias estão vendendo seus apartamentos a preço de banana para se mudar pela insegurança.


Deixe o seu comentário

sobre Carlos Sperança

Um dos maiores colunistas político do Estado de Rondônia. Foi presidente do Sinjor. Foi assessor de comunicação do governador José Bianco entre outros. Mantém uma coluna diária no jornal Diário da Amazônia.

Arquivos de colunas