porto velho - ro, 13 Outubro 2019 01:46:00
    Polícia

    Secretário de Saúde manda matar biólogo

    Suspeito não confessou o crime, mas disse que já teve relação extraconjugal com a vítima.

    Por Redação Diário da Amazônia
    A- A+

    Publicado: 06/08/2017 às 06h35min

    Secretário de saúde será transferido para Porto Velho

    O secretário municipal de Saúde de Espigão D’Oeste (RO), Eduardo Bezerra da Cruz, foi preso nesta sexta-feira (4) por ter mandado assassinar a tiros o ex-amante por causa de uma ‘nudes’ (nudes ficou popular no Whatsapp pra quando você quer pedir fotos nua da pessoa com quem vc conversa). O crime foi na tarde da última quarta-feira (2). Conforme a Polícia Civil, Eduardo decidiu matar o biólogo de 32 anos porque a vítima estava ameaçando divulgar as fotos íntimas do servidor.
    Eduardo Cruz, além da função de secretário de saúde, é policial militar reformado.

    Após ser preso o secretário negou o crime, porém confessou que era chantegeado pela vítima por causa das “nudes” e que, no passado, já teve um relacionamento extraconjugal e homoafetivo com o biólogo.

    O suspeito de executar o crime também foi preso e confessou que matou a vítima a mando do secretário.

    Em entrevista, o diretor do Departamento de Polícia do Interior, Arismar Araújo de Lima, revelou que o suspeito de atirar na vítima foi preso em Cacoal (RO), e confessou que cometeu o crime a mando do secretário de saúde de Espigão D’Oeste, Eduardo Bezerra da Cruz.

    “O Eduardo teria dito a ele que a vítima tinha umas fotos íntimas dele (secretário) e uma familiar da própria vítima, e estava o chantageando, por isso ele decidiu contratar o suspeito para matar o biólogo”, revela.

    O secretário, segundo a polícia, teria atraído a vítima até o local do crime, onde o executor estava o esperando, escondido no mato e depois o executou a tiros.

    “Pelo relato do executor, Eduardo atraiu o biólogo até a Linha Bandarra, na zona rural, onde o executor já estava esperando. Após a vítima descer do veículo, o secretário encaminhou a vítima em direção do suspeito que o executou no local com disparos de arma de fogo”, explica.

    De acordo com o delegado Frank Lopes que trabalha no caso, o suspeito de ser o executor do assassinato ficou hospedado em um hotel da cidade, antes e depois do crime.

    “Segundo o suspeito, o secretário Eduardo pegou ele em um hotel em Espigão, levou até o local do crime e o deixou esperando a vítima. Como Eduardo já tinha mostrado uma foto do biólogo para ele, o homem executou o rapaz e retornou para o hotel, onde entregou a arma para o secretário. Temos o recibo da diária paga ao suspeito no hotel. Além das imagens que mostram que os dois suspeitos estiveram no local”, aponta.

    Os dois suspeitos tiveram a prisão preventiva decretada.

    “O Eduardo Bezerra, por ser policial militar será transferido para Porto Velho, onde permanecerá preso. O outro envolvido foi transferido de Cacoal para Espigão D’Oeste, onde deve ficar à disposição da Justiça. A polícia continuará trabalhando para elucidar todos os detalhes do caso, entre eles se teve ou não a participação de uma terceira pessoa no crime”, declara o delegado.

    De acordo com a assessoria de comunicação da prefeitura de Espigão D’Oeste, Eduardo Bezerra pediu exoneração do cargo de secretário após o ocorrido. A prefeitura de Espigão D’Oeste divulgou uma nota oficial por causa do ocorrido. (Com informações do G1)

     



    Escreva um comentário