Porto Velho/RO, 10 Junho 2021 14:28:27
Diário da Amazônia

Sedam encerra Semana do Meio Ambiente em Ji-Paraná

Ao longo da semana foram realizadas diversas atividades com vistas a levar orientação às pessoas

Por J. Nogueira Diário da Amazônia
A-A+

Publicado: 10/06/2021 às 14h28min

A Semana do Meio Ambiente na região central do Estado foi realizada com muitas atividades pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Ambiental (Sedam), em parceria com o Instituto Federal de Rondônia (IFRO). Os eventos abrangeram 12 municípios e seus respectivos distritos, e em virtude da pandemia do novo Coronavírus, as ações estão sendo realizadas de forma virtual. O encerramento acontece nesta sexta-feira (11), segundo a servidora e Analista Ambiental, Kátia Kasula da unidade de Ji-Paraná.

Ao Sistema Gurgacz de Comunicação (SGC), Kátia Casula lembrou que a Semana do Meio Ambiente que teve início na segunda-feira (7), com as mensagens da professora Letícia Piveta (IFRO), Danielly Sant’anna (coordenadora de Recursos Hídricos) e do gerente do escritório local, Marco Cavalcanti. No mesmo dia, o engenheiro ambiental, João Paulo (Sedam), apresentou a palestra com o tema: ‘Diagnóstico Ambiental da Bacia do Rio Cacau de Alvorada D’Oeste’.

Outras duas palestras foram apresentadas na terça e quarta-feira, sendo os palestrantes Jorge Valdemir (secretário de agricultura de Cacoal) e Thalita Silva (engenheira de pesca da Sedam). A Semana do Meio Ambiente, também teve uma oficina de noções básicas de Google Earth Pro e ações de combate às queimadas e incêndios florestais no Estado, sendo a palestrante Maricélia Messias, coordenadora de Educação Ambiental da Sedam. A última palestra será nesta noite de sexta-feira, com o tema: Outorga de Recursos Hídricos e Construção de Barragens e Represas com o palestrante, Daniele Sant’anna e Adailton Patrício. As ações contou com o apoio do secretário, Marcílio Leite Lopes e do gerente da Sedam Regional Central, Marco Cavancanti

Preocupação

Sobre o período das queimadas a Analista Ambiental afirmou ser bastante preocupante a atual situação, já com muitos focos de incêndios em toda a região. “Tem essa preocupação em decorrência do inverno amazônico ter sido menos intenso (pouca chuva), com os rios registrando baixos níveis de água, aliado com a baixa umidade do ar. Tudo isso gera muitas situações com o aumento das doenças respiratórias, principalmente, de crianças e idosos, além do enorme dano ao próprio Meio Ambiente”, lamentou.



Deixe o seu comentário