Porto Velho/RO, 07 Outubro 2020 01:08:02
Geral

Servidor é flagrado fazendo sexo com cadáver no IML de Manaus

O caso aconteceu na madrugada após a final da Copa Libertadores. O homem cometeu o ato com o cadáver de uma jovem de 20 anos - que foi morta

A- A+

Publicado: 12/12/2019 às 11h11min | Atualizado 12/12/2019 às 11h12min

Um auxiliar de necropsia, de 52 anos, foi flagrado mantendo relações sexuais com o cadáver de uma jovem de 20 anos. O caso aconteceu na madrugada de 24 de novembro, no Instituto Médico Legal (IML), localizado na avenida Noel Nutels, bairro Cidade Nova, Zona Norte de Manaus. O flagrante culminou com a exoneração do cargo.

Um médico legista foi até a sala de necropsia, onde iria realizar exames residuográficos em um corpo do sexo masculino, quando flagrou o servidor. O auxiliar estava com as calças abaixo da cintura, descendo da mesa onde estava o corpo da jovem, que havia sido removida horas antes de um hospital da capital, vítima de arma de fogo.

Após o flagra, o perito acionou a direção do instituto que tomou a providência cabíveis. Conforme fontes do IML, o servidor tinha problemas com o alcoolismo e já havia cometido outras infrações por conta do vício. Ele exercia a função desde 2015, mas era contratado pelo Governo do Amazonas há mais de dez anos.

De acordo a Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), o servidor foi demitido juntamente com um auxiliar administrativo por faltas funcionais graves. O órgão informou que ambos deixaram o expediente para assistir ao jogo final da Copa Libertadores e retornaram embriagados.

O Departamento de Polícia Técnico-Científica do Amazonas (DPTC) informa que pediu abertura de um inquérito policial para investigar denúncias de prática de necrofilia pelo auxiliar de necropsia do órgão.

O caso está sendo investigado pelo 27º Distrito Integrado de Polícia (DIP).

A SSP-AM ressalta que o suspeito não faz mais parte dos quadros funcionais do IML. Seguindo determinações da pasta, o DPTC tomou todas as medidas cabíveis para o esclarecimento rápido das denúncias.

FONTE: emtempo



Deixe o seu comentário