porto velho - ro, 10 Janeiro 2019 15:01:31
Cultura

Setor cultural elogia indicação de Henrique Pires

Representantes do setor cultural se mostraram animados com a nova estrutura do Ministério da Cidadania, que vai integrar Cultura, Esporte..

Por Assessoria
A- A+

Publicado: 04/01/2019 às 09h02min

Se preferir, ouça a versão em áudio

Representantes do setor cultural se mostraram animados com a nova estrutura do Ministério da Cidadania, que vai integrar Cultura, Esporte e Desenvolvimento Social, e a indicação de Henrique Medeiros Pires para a Secretaria Especial de Cultura. A classe artística e gestores culturais falaram das expectativas e desafios do setor nesta nova gestão.
A presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Kátia Bogéa, presente na cerimônia de transmissão de cargo ao ministro da Cidadania, Osmar Terra, destacou o ineditismo da oportunidade de fazer políticas transversais. “Esta é a grande novidade. É o ganho da fusão dos ministérios. A cultura agregada ao esporte, ao desenvolvimento social, vai poder fazer muito por áreas sobre as quais já tínhamos projetos relacionados”, disse. “Homem da Cultura”

O vice-presidente da Associação de Produtores Teatrais Independentes (APTI), Odilon Wagner, elogiou a indicação de Pires. “A classe artística ficou feliz com a escolha dele porque é um homem da Cultura. Realizou um trabalho no Sul superimportante e é essencial que estivesse com o ministro uma pessoa da área e um homem sério como ele”, afirmou o vice-presidente da Associação de Produtores Teatrais Independentes (APTI), Odilon Wagner. “O grande desafio do Henrique talvez seja o de traduzir para o novo governo, em várias áreas, como a da Fazenda, a importância que o campo da Cultura tem na economia e no social”, complementa. Segundo Wagner, Pires deverá mostrar a pujança deste setor para a sociedade.

A diretora e representante da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) no Brasil, Marlova Jovchelovitch Noleto, destacou que Medeiros é um profissional de alta competência e com reputação sólida, com experiência na formulação e gestão de políticas públicas nas áreas de cultura e desenvolvimento social. “Temos certeza que terá grande sucesso na condução das políticas de fortalecimento da cultura no país.” Marlova reforçou que o novo secretário terá na UNESCO “um forte e entusiasmado aliado para a cooperação técnica no desenvolvimento de políticas públicas culturais”.
“Entusiasmo” define o sentimento do presidente da Associação Brasileira das Empresas Desenvolvedoras de Jogos Digitais (Abragames), Sandro Manfredini. “Saudamos o novo senhor Secretário José Henrique Medeiros Pires, e desejamos muito sucesso à frente de uma das pastas mais importantes para o nosso país. Estamos entusiasmados para apresentar a prosperidade da indústria brasileira de desenvolvimento de games, seu potencial econômico, e sobre como podemos trabalhar juntos para crescermos ainda mais, gerando empregos de alto valor agregado e divisas para o Brasil”, afirmou.

A diretora administrativa e financeira da Escola do Teatro do Bolshoi no Brasil, Célia Campos, tem boas expectativas em relação ao novo governo, com sua bandeira contra a corrupção. “Sabemos que no MinC há políticas de combate à corrupção, que a prestação de contas dos projetos da Rouanet é séria, quem vive e trabalha diariamente com cultura sabe. As críticas são devidas, em sua maioria, à falta de informação”, afirmou. “Desejamos muita sorte e muita luz para que o novo secretário possa levantar a bandeira da cultura, que tende a ser uma pasta não priorizada, mas nós que trabalhamos no setor cultural sabemos o quanto é importante. No Bolshoi, há vidas que são resgatadas pela dança. Que possamos continuar lutando e que cada vez mais pessoas lutem pela cultura e que secretario tenha uma equipe coesa para fazer desta pasta uma pasta forte”, concluiu.
Já o presidente da Associação Brasileira de Música e Artes (Abramus), Roberto Menescal, disse estar esperançoso quanto à possibilidade de o novo governo investir na exportação da produção musical brasileira. “Espero que estudem mais a fundo a possibilidade de exportarmos cada vez mais a música brasileira, que vai render muito para o Brasil”, afirmou.

A presidente da Fundação Casa de Rui Barbosa, Marta de Senna, está na expectativa de receber a visita do secretário especial da Cultura para conhecer a instituição. “A nossa expectativa é que o novo secretário venha saber o que somos, o que fazemos e o que prestamos à cultura brasileira. Atuamos nas áreas que Rui Barbosa atuou: na educação, no direito dos povos, além das políticas culturais. A partir disso, fazemos um trabalho que associa a cultura à sociedade.”



Escreva um comentário