Porto Velho/RO, 29 Abril 2021 14:51:54
Geral

Solidariedade brasileira caiu durante a pandemia, diz estudo

Para pesquisadores, isto denota uma percepção de que as relações sociais mais próximas estão "se rompendo"

A-A+

Publicado: 29/04/2021 às 14h51min

KieferPix / Shutterstock

A solidariedade de brasileiros e mexicanos, especialmente a dirigida aos próprios compatriotas, caiu durante os meses da pandemia, de acordo com os resultados de um estudo sobre a percepção das mudanças causadas pela crise do coronavírus.

Em relação ao Brasil, os autores do relatório “Como a Covid-19 mudou o mundo”, divulgado nesta quinta-feira em Berlim pelo Instituto Brookings, dos Estados Unidos, detectaram uma brusca queda na solidariedade “interna”, de 7,4%. Quanto à atitude solidária para com o exterior, a redução foi mais moderada (-4,8%).

Para os autores do relatório, essa queda da solidariedade entre os brasileiros denota uma percepção de que as relações sociais mais próximas estão “se rompendo”, e isso foi detectado durante os meses da pandemia.

A queda do Produto Interno Bruto (PIB) por habitante no Brasil chegou a 4,6% em 2020, segundo dados do Fundo Monetário Internacional (FMI) citados no estudo do Instituto Brookings.

No caso do México, o índice que mede a solidariedade em geral recuou 6% em 2020, mesmo ano em que o PIB por habitante do país caiu 10,3%, conforme ressaltou o relatório.

Mas o índice que mede a solidariedade entre os mexicanos em particular caiu ainda mais, para 9,1%, de acordo com dados combinados da pesquisa global do instituto Gallup e do Banco Mundial coletados no estudo.

O relatório indica que a solidariedade “interna” pode por si mesma “promover o bem-estar dos membros do grupo, mas também gerar conflitos com grupos externos”, e alerta que o populismo, por exemplo, representa uma forma de solidariedade interna que muitas vezes gera hostilidade para com os imigrantes.

A deterioração da solidariedade “interna” entre os cidadãos mexicanos mostra “que os cidadãos sentem que suas estreitas relações sociais estão se rompendo”.

Ao mesmo tempo, a solidariedade “externa”, para com outros países, registrou uma leve melhora em 2020, de 0,1%. Na última década, esse indicador havia aumentado 10% na taxa acumulada, de acordo com o estudo.

O relatório do Instituto Brookings concentra-se nas mudanças detectadas nos países do G7, as principais economias do mundo, embora também inclua dados de outras nações.

EVOLUÇÃO POSITIVA EM ARGENTINA E CHILE.

Os dados sobre a solidariedade no Brasil e México contrastam com os de outros países latino-americanos, como Argentina e Chile: o índice geral argentino aumentou durante a pandemia em 4,7%, embora tenha sido detectada uma ligeira diminuição da solidariedade interna.

No caso do Chile, os autores do estudo indicam que houve um aumento da solidariedade entre os cidadãos de 2,3%.

(EFE)



Deixe o seu comentário