Porto Velho/RO, 31 Janeiro 2020 08:42:26

    CarlosSperança

    coluna

    Publicado: 31/01/2020 às 08h42min

    A-A+

    Temos pequenos municípios precisando de projetos para economia

    “Lei de Guedes” Alguns podem considerar paranoia, outros vão considerar tática a decisão do presidente Jair Bolsonaro de não ir ao..

    “Lei de Guedes”

    Alguns podem considerar paranoia, outros vão considerar tática a decisão do presidente Jair Bolsonaro de não ir ao Fórum Econômico Mundial, em Davos (Suíça), enviando em seu lugar o ministro Paulo Guedes. Sabia que lá ficaria jogado contra a parede. Preparar uma suave e bem-sucedida viagem à Índia seria melhor para proteger sua imagem.

    Guedes voltou da Suíça abaixo de uma avalanche de protestos por ter acusado os pobres pelo desmatamento e defender a devastação da Amazônia sob o argumento de que os países ricos fizeram isso com seus biomas. O ministro age como se defendesse uma viciosa “Lei de Guedes”, pela qual alguém ter cometido um crime e enriquecido com ele justifica cometer crimes iguais para se dar bem e não ser penalizado.

    Justificar a devastação como forma de vencer a pobreza é uma ideia tão tola que a ministra da ministra da Agricultura, Tereza Cristina, demoliu o pressuposto: “As pessoas não precisam desmatar para comer. Você pode aumentar a produtividade por área. Essa é uma das vantagens comparativas do Brasil”.

    A ministra, aliás, faz parte da comitiva do presidente Jair Bolsonaro na visita à Índia e trará de lá importantes acordos que amadureceu em seu bem-sucedido primeiro ano de ministério. Guedes voltou perdendo, ela ganhou antes de ir e o presidente se resguardou criando o Conselho da Amazônia.

    ………………………………………………….

    A canibalização

     Vieram as lojas dos chineses repletas de produtos mais baratos e para  competir com a novidade o comércio lojista local inundou as principais avenidas de Porto Velho com lojas de R$ 10,00 e R$ 20,00. Uma canibalização sem precedentes e não se sabe qual será o fim da peleja. Por falar em canibalismo,  três redes de farmácias em Porto Velho estão disputando o mercado palmo a palmo a ponto de instalarem simultaneamente suas unidades frente a frente, lado a lado em importantes avenidas da capital. 

    Sorte do aeronauta

    O afável aeronauta Edgar Azevedo, aquele que já caiu cinco vezes no Rio Madeira de ultraleve e sobreviveu só com algumas costelas quebradas, realmente pendurou as chuteiras para a política. Garante que não disputará mais cargos eletivos, decepcionado com os rumos das coisas. Prefere curtir o seu sítio no outro lado do Rio Madeira   e prosear om os amigos nos finais de semana. Um cara com tanta sorte assim poderia ser até presidente, caras-pálidas.

    O despovoamento

    O estado de Rondônia começa 2020 sentindo o despovoamento de alguns municípios na Zona da Mata, Região Central, Vale do Jamari e Cone Sul rondoniense. Temos pequenos municípios precisando de projetos de viabilidade econômica depois do ciclo da madeira e se não forem revitalizados  já correm o risco de virar cidades fantasmas nos próximos anos. O que impressiona é que até no progressista Vale do Jamari alguns municípios já estão berrando.

    Haja corruptos

    Nem só leite e mel nos três principais estados com maioria evangélica do País, que são pela ordem Rio de Janeiro, Espirito Santo e Rondônia. O eleitorado do segmento tem errado a mão e tornado dois estados – casos do Rio de Janeiro e Rondônia – em campeões de políticos enrascados com a justiça nas últimas décadas. O Rio  é campeão nas prisões de ex-governadores, Rondônia de presidentes de assembleias legislativas. Já, os evangélicos capixabas estão mais limpos nestes quesitos.

       É coisa de louco!

    Estou curioso para o início da campanha eleitoral para prefeito em Porto Velho para ver como os candidatos de ponteira vão negar até três vezes antes que o galo cante, seus pontos de desgaste. Senão vejamos: Hildon Chaves vai ter coragem de colocar no seu palanque o sócio Expedito? Leo Moraes negará que está pulando cirandinha com os Raupps? Mauro Nazif não colocará seu irmão Gilson Nazif  no comando de sua campanha? Vou de pedra cantada: os pontos de desgastes vigentes dos macacos velhos beneficiam o cabaço Vinicius Miguel na temporada.

    Via Direta

    *** Ao derrubar as casas em situação de risco a prefeitura de Porto Velho tenta corrigir um problema existente há muito tempo na capital*** Mas se não fiscalizar a coisa, será como enxugar gelo, pois rola o bate-volta constantemente*** Impressiona a epidemia de feminicídio no Brasil. Na região amazônica também o índice é alto e Rondônia tem sido um dos campeões no quesito*** A deputada federal Silvia Cristina (PDT-RO) cumpriu agenda em Porto Velho durante a semana participando das articulações do partido para a eleição de outubro*** Outra parlamentar participando do processo eleitoral na capital é Jaqueline Cassol (PP-RO) que defende o lançamento da candidatura própria da legenda  a prefeitura da capital com a vereadora Cristiane Lopes*** Como estão xingando as mainhas dos prefeitos rondonienses neste inverno amazônico. É coisa de louco! 


    Deixe o seu comentário

    sobre Carlos Sperança

    Um dos maiores colunistas político do Estado de Rondônia. Foi presidente do Sinjor. Foi assessor de comunicação do governador José Bianco entre outros. Mantém uma coluna diária no jornal Diário da Amazônia.

    Arquivos de colunas