Porto Velho/RO, 20 Setembro 2021 17:03:21
Diário da Amazônia

Tinta “mais branca do mundo” pode ajudar a economizar eletricidade (e acabar de vez com o ar-condicionado)

Grande passo para ajudar a reduzir os efeitos nocivos dos sistemas de ar no meio ambiente

Por ZAP
A-A+

Publicado: 20/09/2021 às 16h56min | Atualizado 20/09/2021 às 17h03min

Xiulin Ruan, um dos especialistas que criou a tinta mais branca do mundo (Foto: John Underwood / Purdue University)

Uma equipe de pesquisadores da Universidade de Purdue desenvolveu uma tinta tão branca que revestir um prédio com ela pode reduzir, ou até mesmo eliminar, a necessidade de se ter ar condicionado. Depois de testar mais de uma centena de materiais reflexivos diferentes, a equipe decidiu usar uma concentração extremamente alta de um composto químico chamado sulfato de bário, que normalmente é usado para fazer papel fotográfico e cosméticos brancos.

Xiulin Ruan, professor de engenharia mecânica na Universidade de Purdue, revelou que quando a equipe iniciou o projeto, há cerca de sete anos, tinha em mente “a poupança de eletricidade e o combate às mudanças climáticas”, cita o Interesting Engineering. O uso de sulfato de bário na tinta, diz o relatório, permite que se espalhe uma faixa maior do espectro solar.

Ou seja, o objetivo da equipe sempre foi desenvolver uma tinta que refletisse a luz do sol nos edifícios. Como a tinta que desenvolveram absorve menos calor do que emite, tem capacidade para esfriar a superfície em que é aplicada, reduzindo a necessidade de utilização de ar-condicionado.

Esse é um grande passo para ajudar a reduzir os efeitos nocivos dos sistemas de ar no meio ambiente, uma vez que as tintas reflexivas comerciais existentes no mercado refletem entre 80 a 90% da luz solar, mas não esfriam as superfícies devidamente.

A equipe revela que cobrir uma área de cerca de 92 metros quadrados permite uma potência de resfriamento equivalente a 10 quilowatts – que, de acordo com Xiulin Ruan, é “mais forte do que os sistemas de ar usados ​​pela maioria das casas”.

Os pesquisadores revelam que poderiam deixar a tinta ainda mais branca, mas a fórmula pela qual se estabeleceram é a mais viável comercialmente. Eles destacam ainda que, brevemente, o produto deverá começar a ser vendido.

A tinta já foi reconhecida pelo o Guinness World Records como a mais branca do mundo. (ZAP)



Deixe o seu comentário