Porto Velho/RO, 12 Janeiro 2021 06:15:19

CarlosSperança

coluna

Publicado: 12/01/2021 às 06h15min

A-A+

Todo cuidado é pouco com as saidinhas de banco, caras-pálidas rondonienses

Zona franca verde Não foi sem causar fortes impactos sociais que o ciclo da mineração substituiu o extrativismo nas áreas de..

Zona franca verde

Não foi sem causar fortes impactos sociais que o ciclo da mineração substituiu o extrativismo nas áreas de cassiterita. A mineração deu no desenvolvimento de comunidades estruturadas. Surgiram comércio e serviços públicos onde antes apenas havia acampamentos. Com as transformações e a combinação de sonhos humanos e planejamento governamental, veio a colonização e com ela uma agropecuária poderosa. 

Como a evolução é uma lei natural, o próximo salto será combinar o extrativismo com desenvolvimento sustentável e recursos tecnológicos para aproveitar o melhor da floresta e sua gente. O nome sugerido ao novo ciclo de máximo proveito e mínimo de perdas é bioeconomia. Sob forte ataque do mundo, com a imagem do Brasil deteriorada por conta da péssima diplomacia do ministro Ernesto Araújo, o governo decidiu sair da defensiva, onde apanhava como moleque mirrado, para uma proposta robusta: transformar os recursos naturais em produtos de maior valor agregado com ênfase na proteção ambiental. 

Os ministros Paulo Guedes (Economia) e Ricardo Salles (Meio Ambiente) decidiram criar um grupo de estudos para impulsionar a bioeconomia, e logo de saída já surge nele a proposta de criar uma “zona franca verde”. Considerando que o governo começou querendo dar fim à ZF de Manaus, sem dúvida, é uma grande mudança. E para muito melhor.

………………………………………………………………….

Os dois lados

Em Rondônia o senador Confúcio Moura e o deputado federal Lucio Mosquini lideram o bloco de apoio da bancada federal do estado a candidatura do deputado Baleia Rossi a presidência da Câmara dos Deputados. Do lado adversário, a deputada federal Jaqueline Cassol (PP), coordena dos trabalhos na região para a eleição do deputado bolsonarista Arthur Lira que visitou Porto Velho na semana passada. A eleição está esquentando os bastidores do Congresso.

Mais covas

 As mortes pelo coronavirus estão superlotando o Cemitério de Santo Antônio em Porto Velho  eprovocando um colapso nos meios hospitalares da capital. Diariamente a administração do “Tonhão” se obriga a abrir novas covas para abrigar os infortunados contaminados pela doença cujo número disparou nos últimos dias. As autoridades sanitárias tentam sustar o avanço da pandemia, cuja iniciativa é dificultada pela desobediência civil, principalmente da juventude rondoniense.

As audiências

 A votação da reforma da Previdência da prefeitura de Porto Velho foi adiada na Câmara de Vereadores e audiências públicas entre os sindicatos serão marcadas para discutir o projeto enviado ao Poder Legislativo. Infelizmente o funcionalismo municipal não vai escapar das exigências da União. Os servidores estaduais já foram penalizados com as novas exigências, mas os sindicatos municipais estão empenhados em bloquear o projeto,

Nova data

Mais uma nova data foi anunciada pelo Dnitt para a inauguração da ponte sobre o Rio Madeira, iniciada em 2014 na altura do Abunã.Agora a previsão das esferas federais é para março. Nos últimos anos já foram anunciadas várias datas, nenhuma delas cumpridas e as desculpas sempre são diferentes, como agora por conta da falta de aço e de outros materiais escassos no mercado. A temporada de chuvas no ano anterior foi a maior alegação.

As saidinhas

Todo cuidado é pouco com as saidinhas de banco, caras-pálidas rondonienses, pois já tivemos várias vítimas neste início de janeiro na capital e alguns empresários perdendo até R$ 80 mil. Os estabelecimentos bancários não têm vigilância e os clientes que se danem. A falta de vigilância também facilita a vida dos viciados e outros marginais dormindo dentro das agências aproveitando para dar o bote em clientes incautos. É coisa de louco! 

Via Direta

***E 2021 marca a volta das atividades políticas do ex-prefeito de Ji-Paraná Jesualdo Pires, possível candidato a Câmara dos Deputados *** Eleito vereador, Everaldo Fogaça está de volta a Câmara de Vereadores da capital. Bem articulado foi eleito presidente da Comissão de Constituição e Justiça e se projeta como um dos destaques da nova legislatura*** No interior é desesperadora a situação do povão com o coronavirus. O prefeito Fúria trata da instalação de um hospital de campanha em Cacoal, na Região do Café*** Em Ariquemes, o ex-vice-prefeito Lucas Follador foi conclamado para a disputa de uma cadeira a Câmara dos Deputados em 2022.


Deixe o seu comentário

sobre Carlos Sperança

Um dos maiores colunistas político do Estado de Rondônia. Foi presidente do Sinjor. Foi assessor de comunicação do governador José Bianco entre outros. Mantém uma coluna diária no jornal Diário da Amazônia.

Arquivos de colunas