Porto Velho/RO, 27 Dezembro 2019 15:44:10

    ChagasPereira

    coluna

    Publicado: 27/12/2019 às 15h43min

    A-A+

    Trânsito humanizado exige responsabilidade

    Infringir regras infelizmente faz parte da mentalidade do povo brasileiro, que normalmente costuma atribuir a outras pessoas ou..

    Infringir regras infelizmente faz parte da mentalidade do povo brasileiro, que normalmente costuma atribuir a outras pessoas ou instituições uma culpa que é essencialmente sua. Obviamente que existem as exceções, mas no geral é assim. No trânsito não é diferente. Existe uma legislação que deve ser obedecida porque foi elaborada justamente para disciplinar o tráfego de veículos, motorizados ou não, em vias públicas, e garantir a segurança de todos que fazem parte do sistema (motoristas, motociclistas, ciclistas e pedestres). Mortes acontecem no trânsito quando a legislação é afrontada, desrespeitada. Aliás, não haveria a necessidade da aplicação de multas se a mentalidade de quem faz parte do trânsito estivesse em consonância com o respeito às normas que regem o sistema, justamente porque existem para proteger as pessoas. No entanto, o joio costuma estragar o trigo. Muitos condutores de veículos preferem pagar multas pela infração cometida do que conscientizar-se de que é preciso respeitar as leis. Dirigir embriagado, por exemplo, é um grande abuso e caracteriza debilidade, burrice e outros ‘adjetivos’. Aliás, esse tipo de abuso deveria ser punido com mais rigor, inclusive com prisão, porque quando alguém dirige embriagado está ciente do que pode acontecer. Esse texto é para chamar a atenção de quem costuma desrespeitar a legislação de trânsito e colocar em risco a sua própria vida e a vida de outros. Afinal, trânsito humanizado e civilizado depende de paciência, tolerância, prudência e, principalmente, responsabilidade.

    Hipocrisia

    Com tristeza constatamos que a hipocrisia tem sido um dos maiores ingredientes na vida de muita gente, independentemente do aspecto social ou financeiro. Quanto mais elevado o grau de conhecimento, a hipocrisia costuma ser mais acentuada. Em autoridades, que deveriam ser boas referências, percebemos que o poder fala mais alto do que a ética e a responsabilidade. Enquanto isso, os mais humildes são obrigados a arcar com as consequências da hipocrisia.

    Turismo

    O governador Marcos Rocha deixou claro, durante encontro com jornalistas, no início da semana, que o turismo será uma das prioridades do governo em 2020. A expectativa é de que haja projetos e investimentos, incluindo parcerias com a iniciativa privada, para que o turismo seja realmente um mercado ascendente no estado, tendo em vista o grande potencial existente em Rondônia. A falta de infraestrutura tem sido um dos maiores entraves para o desenvolvimento do setor.

    Saneamento

    O novo marco regulatório do saneamento básico deve ser uma das pautas no Senado em 2020. Pela quarta vez em pouco mais de um ano o Congresso tenta renovar as regras do setor. O projeto foi aprovado pela Câmara dos Deputados no dia 18 deste mês. Um dos pontos que travam as negociações é a abertura para o envolvimento de empresas privadas no setor. Vamos aguardar.

    Mais rigor

    Enquanto se fala tanto em revitalização, o que se tem percebido são absurdos praticados por conta de empresários e moradores, principalmente empresários. Meios-fios de ruas e avenidas são destruídos para dar lugar a estacionamentos em plena calçada. Penso que a fiscalização deveria ser intensificada e bem mais rigorosa para evitar que a Capital continue sendo prejudicada dessa maneira.

    Mudanças

    Um novo ano se aproxima e precisamos fazer uma retrospectiva do que temos feito, especialmente do real significado das nossas ações. 2020 está às portas e não será diferente se nós não nos projetarmos diferentes. Mudanças costumam incomodar, mas são necessárias para que possamos ser diferentes. E somente sendo diferentes podemos fazer a diferença. Pensemos nisso!


    Deixe o seu comentário

    sobre Chagas Pereira

    Com mais de 40 anos de atuação no segmento da comunicação em Rondônia, Chagas Pereira é jornalista, radialista, consultor e palestrante.

    Arquivos de colunas