porto velho - ro, 01 Novembro 2019 23:15:44

    SolanoFerreira

    coluna

    Publicado: 25/09/2019 às 16h01min | Atualizado 25/09/2019 às 16h10min

    A-A+

    Turismo é negócio de resposta rápida e lucrativa

    Finalmente Rondônia começa a pensar turismo como negócio viável. O estado é rico em potencial, mas passava despercebido por..

    Finalmente Rondônia começa a pensar turismo como negócio viável. O estado é rico em potencial, mas passava despercebido por desconhecimento ou por falta de infraestrutura. Tudo pode se tornar um negócio turístico, desde uma fazenda de café ao encanto de um lugar inóspito na natureza. O que precisa é oferecer ao visitante infraestrutura de transporte, comunicação, gastronomia e acervo. E é isso que ainda falta para que possamos ter mais gente chegando, visitando e gastando no estado.
    A exemplo, o oponente Forte Príncipe da Beira, localizado no setor rural em Costa Marques é um belo cartão postal para para chegar até lá, não é fácil. A distância é uma barreira que poderia ser compensada com diversos outros pontos no decorrer do caminho. Assim valeria a pena o investimento de tempo e dinheiro para o visitante chegar até lá.
    A nossa capital tem importantes elementos históricos que podem atrair mais visitantes. Mas também falha na organização de roteiros que possam ordenar e otimizar as visitações. No interior do estado temos de belezas naturais e culturais que podem servir numa cadeia de negócio interligada. Seria conveniente formar um super roteiro dentro do estado constando uma cadeia de negócio por completo. Para isso é preciso investir em capacitações, mas por enquanto somente o Sebrae está pensando nisso.
    Quando aos acessos, uma das alternativas seria alíquota diferenciada para combustíveis de aviação, para que as empresas locais e regionais pudessem operar a custo mais acessível. O que reduziria de tributo compensaria em outros negócios, já que segundo estimam, para cada dólar investido em turismo o retorno chega até quatro dólares. Ou seja, o turismo é um bom negócio que está sendo desperdiçado em Rondônia.

    Escreva um comentário

    Arquivos de colunas