Porto Velho/RO, 08 Junho 2020 11:18:19

JoséLuiz

coluna

Publicado: 08/06/2020 às 11h17min | Atualizado 08/06/2020 às 11h18min

A-A+

Um verdadeiro show de desrespeito e desobediência as regras colocadas em prática pelas autoridades em Porto Velho

Reflexos da pandemia Um verdadeiro show de desrespeito e desobediência as regras colocadas em prática pelas autoridades em Porto Velho..

Reflexos da pandemia

Um verdadeiro show de desrespeito e desobediência as regras colocadas em prática pelas autoridades em Porto Velho para combater o Covid-19. Boa parte da população na grande maioria dos bairros na capital desfila provocando aglomeração, não tomando conhecimento da ordem de distanciamento, ignorando a obrigatoriedade de usar máscara de proteção, além das festinhas e farras regadas com cervejas e outras coisitas mais, nos finais de semana nos botecos. Parece que a vida não vale nada!

Reconhecer o esforço

Não tenho procuração para defender as ações do governador Marcos Rocha e do secretário de Saúde Fernando Máximo, no combate ao Covid- 19. Todavia como cidadão que adotou à bandeira de Rondônia me sinto no dever de reconhecer o esforço deles ao colocar em prática, o trabalho de uma equipe técnica eficiente no combate a este mal que ainda não sabemos com clareza onde vai parar e nem quantas vida ainda vai ceifar.

Episódio bizarro

Na sexta-feira (05) por volta das 17:00 horas, uma senhora bem apresentada acompanhada por duas jovens na casa dos 20 e poucos anos, trajando indumentárias de grife desembarcaram de uma reluzente hilux no estacionamento de uma grande rede de supermercados, em Porto Velho. Sem máscaras foram orientadas pelo gerente do estabelecimento a adquirir o adereço que se tornou obrigatório. Depois de uma rápida discussão as três cobrindo o nariz e boca com a máscara, entraram na loja quando uma delas esbravejou para quem quisesse escutar: “essa porcaria de máscara não serve pra nada”. Bonitinhas, fofinhas mais com baixo grau de civilidade.

Hibernado

Como faço parte do sistema antigo, do tempo em que leis, decretos e ordem eram cumpridas à risca, mesmo contra-vontade permaneço hibernado como um urso polar realizando algumas atividades somente pelo computador. Não é uma tarefa das mais fáceis, mas como se trata de que vivemos um momento de pandemia, a melhor opção a respeitar e permanecer sem colocar o nariz para fora.

Cidade vazia

Pelo menos no bairro São Cristovam e nas avenidas Pinheiro Machado e Carlos Gomes, nas primeiras horas do dia e nos momentos de pico o trânsito em direção ao centro da cidade estava praticamente zerado, nesta segunda-feira (08) ao contrário de outros começos de semana.

Exercitando a memória

Produzi essas notas para exercitar a memória e não perder o costume, como todos sabem a minha praia é o agronegócio, mas como esses tempos bicudos estão atrapalhando até a vida de quem produz no campo, decidi produzir outras informações de utilidade pública.

Torcendo

Vamos continuar torcendo para que essa pandemia passe logo e o agronegócio volte a ser noticias positivas em Rondônia, gerando emprego e rendas nas áreas rurais e urbanas. Como dizia, o filosofo Sócrates, 350 anos antes de Cristo, “nada é eterno na vida tudo passa”. Boa semana a todos.


Deixe o seu comentário

sobre José Luiz Alves

Colaborador do Diário da Amazônia - José Luiz Alves, é jornalista. Apresenta aos sábados das 6h às 8h na Rede Tv Rondônia! o programa Campo e Lavoura, com informações ao homem do campo e produtores rurais, em cadeia com seis emissoras de rádios para todo o Estado de Rondônia.

Arquivos de colunas