porto velho - ro, 12 Setembro 2019 19:42:00
    Diário da Amazônia

    PERDEU BUSÃO: Unir muda horário e obriga acadêmico dormir no chão

    Acadêmico de direito alega ter sido obrigado a dormir no chão do corredor da Universidade por conta da alteração do horário das aulas.

    Por Jaylson Vasconcelos
    A-A+

    Publicado: 08/08/2019 às 17h28min | Atualizado 08/08/2019 às 17h46min

    FOTO: REPRODUÇÃO

    Na madrugada da última segunda-feira (05) para terça (06), o acadêmico de direito da UNIR – Universidade Federal de Rondônia, Gabriel Lima Costa,  que estuda no período noturno, precisou dormir em um dos corredores do campus, localizado na BR-364, zona Rural de Porto Velho, devido a uma alteração por parte da universidade no horário dos cursos.

    Em uma publicação realizada através das redes sociais outro acadêmico, Breno Veisack, denuncia que a Universidade por meio de uma resolução, alterou antes de começar o segundo semestre e sem consultar os alunos, mudou os horários dos cursos matutino, vespertino e noturno, Breno soube no dia seguinte ao ocorrido que Gabriel havia pernoitado no campus

    O fato segundo o universitário prejudica diretamente os alunos do período da noite, pois, as aulas que antes aconteciam até as 22h, estão sendo realizadas agora até as 23h, sendo impossível que eles façam integração, pois 11h15 todas as linhas são encerradas.

    “O que basicamente aconteceu é que a reitoria mudou, sem ouvir os alunos, os horários de aula e não avisou ou negociou com a Prefeitura em relação a frota de ônibus. E justamente pela inviabilidade logística, um aluno teve que dormir no campus para pegar o ônibus do dia seguinte, às 7h da manhã, e poder ir pra casa”.

    Ainda segundo o universitário um aluno dormiu no campus na noite da última segunda (5), para terça (6), mas o campus fica localizado na zona rural da capital e não possui infraestrutura adequada para que os alunos possam pernoitar.

    “A Unir por sinal, não tem república, água, cama ou qualquer coisa do tipo. O aluno teve que dormir em chão duro, nos corredores, num campus sem segurança alguma e exposto a todo tipo animal, já que estamos em uma área rural”.

    O aluno ainda repudia a decisão que segundo ele, foi “monocrática” por parte da universidade.

    “É um absurdo o acontecido e maior absurdo ainda é a Universidade ter realizado a alteração monocraticamente, sem dar voz aos alunos e sem entender as dificuldades que cada um passa dia a dia”, afirmou Breno.

    Os alunos esperam que a universidade retome os horários anteriores, pois fora as deficiências apresentadas pelo transporte público na cidade, com os horários antigos os estudantes poderiam chegar em casa de ônibus.

    Em contato com a reitoria da Unir, a reportagem foi informada de que a Universidade emitirá uma nota sobre a mudança dos horários.



    Escreva um comentário