Porto Velho/RO, 11 Dezembro 2019 17:55:17

    CarlosSperança

    coluna

    Publicado: 04/12/2019 às 15h35min

    A-A+

    Vai se confirmando para 2020 a aliança liderada pelo PSDB/DEM/PSD

    Aquecimento de recursos Conta-se que, durante a ditadura, o ministro da Justiça brasileiro, Armando Falcão, riu ao ser apresentado ao..

    Aquecimento de recursos

    Conta-se que, durante a ditadura, o ministro da Justiça brasileiro, Armando Falcão, riu ao ser apresentado ao ministro da Marinha da Bolívia: “A Bolívia não tem mar!”. Já o ministro boliviano também riu ao ser apresentado a Falcão: “E o Brasil, acaso tem Justiça?” Há um esforço enorme por parte de bolivianos e brasileiros para que a Bolívia possa ter acesso ao mar e o Brasil possa ter orgulho de seu Poder Judiciário. Será uma vitória continental e para os dois povos o dia em que a velha piada dos tempos ditatoriais não fizer mais sentido.

    Para os governadores amazônicos, seria também um ato de justiça que os interessados em preservar a Amazônia entreguem mais que críticas e ameaças quando sustentam que a região é “patrimônio da humanidade”. Seria justo, nesse caso, a humanidade pagar o custo da manutenção e não exigir esse feito só do Brasil pobre, endividado e com a arrecadação comprometida com o custeio da máquina pública, porque é também injusto pretender um Estado mínimo e ineficiente. 

    As judiciosas autoridades que estarão reunidas na 25ª Conferência Internacional sobre Mudança Climática (COP 25), prestes a se realizar em Madri, Espanha, precisam ter em pauta recursos mais concretos que as já bem conhecidas ameaças apocalípticas ativadas pelo aquecimento global, danoso a qualquer patrimônio, seja nacional ou da humanidade.

    …………………………………………..

    O novo MDB?

    A convenção nacional do MDB em Brasília deu o pontapé inicial para um novo partido que valoriza a mulher, os indios, os negros, os gays, etc. Um partido buscando oxigenação e já procurando entrar na seara do PT, legenda que defende a bandeira LGTB e causas sociais. Nada vai adiantar esta guinada se o partido continuar se comportando como anexo do Planalto como ocorreu nas últimas décadas, seguindo o mesmo modus operandi com Bolsonaro.

    CPI da Energisa

    Passadas semanas do inicio da CPI na Energisa em Rondônia, Acre e Mato Grosso, onde a empresa se instalou, não se vê por aí sequer indicios de que a Aneel reduza o preço da tarifa de energia. Das margens do Rio Mororó as areias da Praia Caída, o que se vê são os políticos interiorizando uma comissão que não vai dar em nada, já que não depende das esferas estaduais qualquer mudança.

     Bancada federal

    Como nas assembleias legislativas de Rondônia, Mato Grosso e Acre a interiorização das CPIs não resolve nada, os deputados estaduais se empenham em conclamar as bancadas federais dos estados para tocar uma CPI, onde os congressistas vão apertar a Aneel até espremer a estatal como um limão. Lá, sim, algum resultado pode ser esperado já que o governo federal precisa de respaldo parlamentar. E numas de toma lá, dá cá…

    Quinhão da educação

     Comenta-se nos bastidores políticos da capital que a parte mais desgastante da gestão municipal de Porto Velho, que é a educação, é o quinhão do cascudo Ex- Pedito, na divisão do bolo partidário. E quem esta pagando o pato com isto é o prefeito Hildon Chaves já que é um setor que tem dado muitos problemas nos últimos dois anos e deve seguir causando problemas no ano que vem.

    Aliança já

     Aos poucos vai se confirmando para 2020, nas eleições municipais a aliança liderada pelo PSDB/DEM/PSD, cujos resultados terão reflexos nas eleições de 2022. Num pleito em que o PSDB deixará o protagonismo na disputa ao governo estadual para o DEM de Marcos Rogério e que deve ratificar a decadência do MDB nas eleições municipais  com poucos candidatos de ponteira nos principais pólos regionais do estado.

    Via Direta

    *** Os supermercadistas rondonienses acreditam que será um bom final de ano em termos de vendas, impulsionadas com os gastos dos consumidores com presentes e a ceia de Natal*** O PT acreditava que com o ex-presidente Lula em liberdade a legenda voltaria aos dias de glórias, mas até agora a perspectiva não ocorreu*** Falta mais mobilização da militância nas ruas. O partido realmente não é mais o mesmo depois de tantos desgastes e negacionismos ***Além disto, os petistas não contam com postulantes de ponta nas eleições municipais até nos pequenos municípios de Rondônia *** O dirigente Pimenta de Rondônia (PSOL) se prepara para mais uma peleja eleitoral no ano que vem*** Acostumado com as peias nas urnas há quase duas décadas, esta calejado nos embates eleitorais. Quiçá em 2020 reverta o cenário com novas propostas para cativar o eleitorado.


    Deixe o seu comentário

    sobre Carlos Sperança

    Um dos maiores colunistas político do Estado de Rondônia. Foi presidente do Sinjor. Foi assessor de comunicação do governador José Bianco entre outros. Mantém uma coluna diária no jornal Diário da Amazônia.

    Arquivos de colunas