Porto Velho/RO, 08 Abril 2021 12:57:50
Diário da Amazônia

Vendedores de artesanato de Porto Velho procuram alternativas na pandemia

Os vendedores de artesanato de Porto Velho continuam na procura por alternativas para se manterem ativos na atual atividade econômica que..

Por Larina Rosa / Diário da Amazônia
A-A+

Publicado: 08/04/2021 às 12h52min | Atualizado 08/04/2021 às 12h57min

Vendedor Daguimar Cacheta no mercado central em Porto Velho / Roni Carvalho

Os vendedores de artesanato de Porto Velho continuam na procura por alternativas para se manterem ativos na atual atividade econômica que a pandemia provocou.

Marta Helena confecciona biojoias e trabalha com artesanato no Mercado Central da Capital, ela explica que as vendas diminuíram muito na pandemia com a falta de turistas na cidade.

“A situação está bem complicada, principalmente na minha área. Eu trabalho com souvenir, lembranças regionais, artigos indígenas. Eu dependo do público de fora, dos turistas. E agora não está tendo viagem, o pessoal não está viajando, não está acontecendo congressos e tudo depende do movimento do turismo”, disse Marta.

Daguimar Cacheta também trabalha com artesanato no mercado e é um sobrevivente da Covid-19. Ele conta que ficou 22 dias internado no hospital e recebeu, diferente da esposa que foi para uma Unidade de Terapia Intensiva ( UTI) e veio a óbito. Ressalta que passou 60 dias, entre maio e junho, com o comércio fechado porque não compensava abrir as portas. Sem o movimento do turismo as vendas despencaram.

“Vamos sobrevivendo, tem dia que vende, tem dia que não e vamos indo. Quando as pessoas estão viajando geralmente elas levam uma lembrancinha local para presentear alguém. Infelizmente o turismo caiu muito e as vendas caíram também”, disse Daguimar.

Marta explica que nesse mesmo período do ano passado, ela ficou sem trabalhar no mercado central, porque o comércio não foi considerado essencial. A alternativa encontrada foi vender máscara, picolé, além do artesanato. “Hoje a minha venda é máscara, picolé e alguns acessórios para usar como pedra, incenso. Estou acreditando na vacina. Depois da vacina acho que vai ser bom para a gente, porque todo mundo está tão sem viajar e quando liberarem vai ser ótimo. Eu já estou pensando no que vai ser bom, porque o ruim a gente já está vivendo”, finalizou.

 



Deixe o seu comentário