porto velho - ro, 10 Outubro 2018 23:18:22
Polícia

Vereador é acusado de executar homem em Ji-Paraná

Vítima chegou a ser socorrida ainda com vida mas não resistiu aos ferimentos.

Por Redação Diário da Amazônia
A- A+

Publicado: 13/02/2018 às 05h35min

O vereador Clodoaldo Cardoso não foi encontrado; ele teve prisão preventiva decretada (Fotos: Plantão de Polícia/RedetvRO)

Paulo Máximo Alves Pereira foi atingido por um tiro no peito e outro na cabeça, após entrar em luta corporal com o vereador Clodoaldo Vieira de Jesus (PR).

O crime aconteceu na rua Tiradentes, próximo a empresa Mirandex, na entrada do bairro São Francisco, no 2º Distrito de Ji-Paraná, na tarde do último sábado (10).

Uma mulher que estava no carro do vereador contou à polícia que o homem é seu ex-marido.

Em depoimento, a mulher relatou que a vítima era seu ex-marido que dirigia um veículo Gol e ao avistá-la com o vereador, trancou a passagem da via. Em seguida, os dois começaram uma discussão e acabaram entrando em vias de fato. Durante a troca de socos, o vereador teria utilizado um revólver e efetudo três disparos. Clodoaldo fugiu do local.

A testemunha também relatou que está separada da vítima há 5 meses, e que já trabalhou para o vereador por algum tempo, mas acabou deixando o trabalho por causa dos ciúmes e brigas constantes do ex-companheiro. Ainda durante o depoimento, a mulher ainda explicou que ligou para o vereador de manhã e pediu que ele a levasse, juntamente com sua avó, até a rodoviária, onde pretendiam comprar uma passagem e no retorno à residência, aconteceu a briga.

A vítima chegou a ser socorrida ainda com vida ao Hospital Municipal, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu durante os trabalhos de remoção para uma UTI de outra localidade.

Até o fechamento desta edição, o vereador Clodoaldo Cardoso não havia sido encontrado, ele teve prisão preventiva decretada pela Justiça e está sendo considerado foragido.



Escreva um comentário