Porto Velho/RO, 31 Agosto 2021 11:10:05
Diário da Amazônia

Viagem tripulada a Marte é possível (desde que dure menos de quatro anos)

Em média, com a tecnologia atual, uma viagem da Terra para Marte pode durar cerca de nove meses

Por CT
A-A+

Publicado: 28/08/2021 às 15h27min | Atualizado 28/08/2021 às 15h33min

Entre os muitos desafios que precisam ser superados quando se trata de enviar humanos a Marte — ou além —, está a capacidade tecnológica de garantir a segurança dos astronautas contra a radiação do espaço.

Em novo estudo, publicado no Space Weather, cientistas propõem que essas barreiras podem ser superadas, mas isto dependeria de uma nave com camadas espessas e, inclusive, do momento ideal para lançar a missão.

De acordo com o estudo, conduzido por um grupo internacional de cientistas espaciais, humanos devem conseguir viajar em segurança de e para Marte, desde que a blindagem da espaçonave tenha a espessura suficiente para proteger a tripulação dos raios cósmicos.

Além disso, toda a viagem de ida e volta precisaria durar menos de quatro anos, e o melhor momento para o lançamento da missão seria quando atividade solar estivesse em seu pico.

Os cientistas calcularam que seria possível proteger a espaçonave e seus tripulantes da radiação no pico de atividade solar porque as partículas liberadas durante esse pico são desviadas pelas partículas ainda mais energéticas e perigosas, vindas de galáxias e estrelas distantes, diminuindo a taxa de radiação do solar.

Uma viagem para Marte dura, em média, nove meses, então dependendo do momento do lançamento e da quantidade de combustível, é possível que uma missão tripulada alcance o Planeta Vermelho e retorne de lá em menos de dois anos.

Yuri Shprits, pesquisador da Universidade da Califórnia e co-autor do estudo, explica que, apesar de a radiação espacial impor limites sobre o quão pesada a espaçonave pode ser e das dificuldades tecnológicas, tal missão é possível.

Shprits e sua equipe combinaram modelos geofísicos de radiação de partículas para um ciclo solar com modelos que simularam com os raios cósmicos afetariam os tripulantes — incluindo efeitos em diferentes órgãos humanos — a bordo de uma espaçonave.

Os resultados revelaram que uma espaçonave construída com um material relativamente espesso pode proteger os astronautas da radiação.

No entanto, uma blindagem assim deixaria a nave ainda mais pesada e poderia aumentar a quantidade de radiação secundária, apontam os cientistas. Mas Shprits aponta para a intensidade dos raios cósmicos que diminuem entre seis a 12 meses após o pico de atividades do Sol — e este seria o momento ideal de lançar humanos rumo a Marte. (Canaltech)



Deixe o seu comentário