Porto Velho/RO, 28 Setembro 2020 12:14:19
Polícia

Voluntária registra BO contra homem que retirou adesivo de apoio ao Pantanal

Agressor ainda abaixou a calça, passou o adesivo nas partes íntimas e jogou na vítima. A imagem, de uma onça-pintada em meio às queimadas

A-A+

Publicado: 28/09/2020 às 12h01min | Atualizado 28/09/2020 às 12h14min

Voluntária registrou BO após ter adesivo de apoio ao Pantanal arrancado e ser agredida por homem em Cuiabá — Foto: Arquivo pessoal

A situação ocorreu na última quarta-feira (23). Ela registrou no boletim de ocorrência que tinha saído do trabalho e entrava no próprio carro quando um homem a abordou e arrancou o adesivo do veículo.

É claramente uma atitude que a gente sabe que é partidária e defende um lado e que desmerece tudo que o outro faz. Eu tomei as medidas cabíveis e fiz um BO. Com as palavras do delegado, só vai servir se as imagens de segurança registraram o tapa e o rosto dele”

Voluntária registra BO contra homem que retirou adesivo de apoio ao Pantanal de carro e deu tapa no rosto dela em Cuiabá — Foto: Arquivo pessoal

Adesivo

O cartaz no vidro do carro trazia a imagem de uma onça-pintada em meio às queimadas e tinha os dizeres “O Pantanal pede socorro”.

Ele ainda me perguntou ao arrancar o adesivo: ‘está bom para você’ “. Ela relatou à polícia que depois da ação, o agressor saiu andando pela avenida xingando a vítima. Quando Bianca parou no cruzamento, o suspeito teria se aproximamente novamente, esfregou o adesivo nas partes íntimas dele e jogou na vítima.

Bianca conta que ainda foi agredida com um tapa no rosto enquanto tentava fechar a janela do carro.

Ela pediu para que a polícia analisasse as câmeras de segurança da região na tentativa de identificar o suspeito.

“Vou continuar com as campanhas. Se a intenção dele era que eu parasse, ficasse com medo e parada, não funcionou. As campanhas continuam. Agradeço ao carinho de todos”, declarou.

Recorde de focos

O Pantanal já registra o número mensal mais alto de focos de incêndio desde o início da série histórica, segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), em 1998: foram 6.048 pontos de queimadas registrados no bioma desde o dia 1º de setembro até quarta-feira (23), o dado mais recente. O recorde mensal anterior era de agosto de 2005, quando houve 5.993 focos de incêndio no bioma.

Em comparação a 2019, quando setembro teve 2.887 focos detectados em 30 dias, o mesmo mês de 2020 já apresenta uma alta de 109%. O número de focos neste mês está 211% acima da média histórica do Inpe para setembro, que é de 1.944 pontos de incêndio.

Este mês já era o setembro com mais focos de incêndio no bioma. Em agosto, foi registrado o segundo maior número de queimadas para o mês; julho também registrou um recorde mensal.

(G1)



Deixe o seu comentário