Porto Velho/RO, 18 Março 2021 17:41:37
Política

Westerley agradece parceria do prefeito nas soluções à população

O vereador ressaltou ainda que a colaboração para que o momento crítico da pandemia passe logo, não depende apenas das ações de restrição

A-A+

Publicado: 18/03/2021 às 17h41min

O vereador Westerley Cardoso (PDT) tem dado destaque às ações de fiscalização e de atendimento à população sobre as mais diversas demandas que chegam ao seu gabinete diariamente através das pessoas que o procuram e enalteceu a parceria do executivo municipal por ser solicito em prover soluções rápidas.

“Há problemas de toda ordem em nosso município, e os que mais sobressaem dizem respeito à nossa infraestrutura, que contempla vias urbanas e rurais. As pessoas estão atentas a esses problemas e, com frequência diária, fazem chegar até nós esses problemas. Saber que o problema existe, é apenas o primeiro passo. Mais importante do que isso é conseguir soluções, e neste ponto, me mostro satisfeito com a disposição de nosso prefeito em direcionar os secretários a que nos atendam com brevidade. Há problemas que levamos, por exemplo, ao secretário Enivaldo Soares, da Obras, e no dia seguinte já havia uma equipe no local provendo a solução. Trabalhando assim, unido conosco, o executivo continuará fazendo um grande trabalho pró a nossa cidade”, ponderou o vereador.

Pandemia

Em seu discurso proferido na sessão ordinária da última terça-feira (16), Westerley disse que as medidas de gerenciamento não devem priorizar a saúde e abandonar economia, e nem o contrário disso.

“É importante seguirmos o ‘caminho do meio’. O prefeito emitiu este último decreto com restrições de funcionamento do comércio não essencial aos fins de semana para evitar aglomerações. É uma medida que altera o curso das coisas, e gera um baque nas vendas das lojas até que as pessoas se adaptem a ir nesses comércios no decorrer da semana. Estamos todos tendo que se adaptar nesse momento de pandemia. A medida não é para punir, e sim para evitar mais aglomerações. E é uma medida temporária, até que baixemos os índices de internações no HM, bem como o número de infectados e mortos”, analisou o vereador.

Dramas

O vereador disse que as medidas a serem tomadas devem sempre se basear no drama que pessoas de ambos os lados enfrentam.

“É triste entrar em uma loja e receber a informação de que o movimento de vendas caiu em mais de 70%, e notar o semblante de medo e desesperança nos olhos dos vendedores por não saber quem será o próximo da fila de ser dispensado. E se for mandado embora, como vai sustentar sua família? Pagar seu aluguel, comprar comida, pagar energia, Internet, água… O que vai fazer? Também é de cortar o coração, pegar na mão de quem perdeu o pai, a mãe, o irmão, o amigo, o avô, o filho ou a avó, e vislumbrar o olhar de desolação de quem lamenta o fato de o vírus ter tirado parte de si ao levar uma pessoa amada. Adotar medidas pensando em uma dos lados apenas é fazer justiça para um e injustiça para outro”, desabafou.

Consciência

O vereador ressaltou ainda que a colaboração para que o momento crítico da pandemia passe logo, não depende apenas das ações de restrição do comércio ou de circulação de pessoas.

“E se todos nós colaborarmos, vamos ter o resultado desejado o mais breve possível. A medida também tem efeito psicológico para demonstrar a seriedade do momento, porque para aqueles que não têm um familiar ou amigo em estado grave ou na espera por uma UTI, a coisa parece não ser tão séria assim”, pediu o vereador.

A.I



Deixe o seu comentário