porto velho - ro, 02 Novembro 2019 02:16:20
    Variedades

    A caderneta de Cahy e os Mascotes do Memorial

    O Memorial Rondon localizado na Vila de Santo Antônio, a primeira localidade escolhida para o início da construção da Estrada de Ferro..

    Por Silvio Santos
    A-A+

    Publicado: 21/08/2019 às 17h18min

    O Memorial Rondon localizado na Vila de Santo Antônio, a primeira localidade escolhida para o início da construção da Estrada de Ferro Madeira Mamoré que a época pertencia ao Estado do Mato Grosso e que com a criação do Território Federal do Guaporé passou a fazer parte o município de Porto Velho, hoje, é um dos pontos turísticos mais visitados da capital rondoniense, por abrigar a igreja mais antiga da região, conhecida como “Igrejinha de Santo Antônio” que existe desde o ano de 1913 e principalmente, pela existência do Memorial Rondon cujo acervo é todo baseado na história do Marechal Cândido Mariano da Silva Rondon – O Marechal da Paz; o único herói brasileiro, cujo nome é nome de um Estado – Rondônia.

    Administrado pela Setur que tem a frente o superintendente Gilvan Pereira e com o apoio da 17º Brigada de Infantaria de Selva, o Memorial tem como responsável administrador o Sargento Antero que se orgulho em ser responsável por tão importante patrimônio histórico de Rondônia. “Já registramos mais de 50 Mil Visitantes, inclusive muitos estrangeiros”, conta Antero.

     

    Os Mascotes do Memorial

    Não bastasse a história do Marechal Rondon responsável pela visita de centenas de turistas todos os dias, de uns tempos para cá, muitas pessoas têm visitado o Memorial também para conhecer os Mascotes.

    E quem são esses Mascotes, nada mais, nada menos, que seis cachorros vira latas, que em virtude do bom tratamento recebido dos trabalhadores do Memorial, se acostumaram com o ambiente e lá passam o dia e a noite. “Eles foram chegando e foram ficando”. O interessante, confirma o funcionário Teodomiro, é que de dia eles ficam assim quietinhos, porém a noite, não deixam ninguém encostar ou se aproximar do ambiente.

    Os cachorros são tão queridos pelos funcionários do Memorial, que receberam nome e Crachá de identificação: Princesa, Jake, Pintadinha, Pipoca, Mel e Cahy.

    A fama dos Mascotes do Memorial ultrapassou os limites do estado de Rondônia e despertou o interesse de uma Rede de Televisão Regional, que deslocou uma equipe de repórteres para registrar a história dos Seis Cães que ficaram conhecidos como “Os Mascotes do Memorial”.

    Terça feira passada dia 20, os repórteres Diego Araújo – Dieguinho, Isabelle Lima e o cinegrafista Gustavo Grijó do Canal Amazonsat da Rede Amazônica de Televisão cumpriram pauta em Porto Velho, para contar a história dos Mascotes do Memorial.

    Antero e Teodomiro fizeram questão de enfatizar o ocorrido com a cadela “Pintadinha”. Ha alguns meses Pintadinha foi picada no rosto por uma Cobra Jaraca e graças a uma veterinária que se propôs a dar assistência aos Mascotes, ela foi salva. “Hoje a Pintadinha taí firme e forte”, festeja Theo.

     

    O Marechal Rondon e os Cachorros

     

    Em uma das dependências do Memorial existe a fotografia na qual o Marechal Rondon posa com um dos cães que fazia parte de sua expedição o Cahy cuja saga ele (Rondon) registrou como: “A Caderneta de Cahy”

     

    Várias tribos não conheciam cães e se amedrontavam com seus latidos e rosnados.

    As expedições sempre levavam muitos cães porque, além de caçadores, eram guardas que evitavam ataques de surpresa. Rondon gostava deles, teve muitos, mas o inesquecível foi CAHY, de quem contava esta história:

    Ele pendurou a língua, pôs as orelhas em pé e saiu correndo com cara de quem entendeu. E entendeu!

    Dois dias depois, reapareceu abanando o rabo, saltitante, ganindo baixinho. E trazia na boca a caderneta perdida”.

    O Memorial Rondon funciona de terça a domingo no horário das 10 as 16 horas. Entrada gratuita.



    Escreva um comentário