porto velho - ro, 20 Julho 2019 05:58:10
Geral

Ceplac busca tecnologias para o cacau

Um dos locais a ser visitado é o Instituto Biofábrica do Cacau, com produção em larga escala.

Por Assessoria
A- A+

Publicado: 12/11/2015 às 06h35min

A expectativa é revitalizar as lavouras cacaueiras melhorando as espécies clonais

A expectativa é revitalizar as lavouras cacaueiras melhorando as espécies clonais

Comitiva de Rondônia visita, de quarta-feira (11) a sábado (14), cacauiculturas da Bahia, a fim de trazer tecnologias a serem aplicadas no Estado. Grandes, médias e pequenas plantações que apresentam grandes produções, serão visitadas por técnicos da Comissão Executiva de Planejamento da Lavoura Cacaueira (Ceplac), políticos e empresários do ramo. A visita vem de encontro à iminente escassez global do cacau, anunciada recentemente pela Organização Internacional do Cacau (OIC).

Um dos locais a ser visitado é o Instituto Biofábrica do Cacau, que tem capacidade de produzir em larga escala, mudas de cacaueiros e fruteiras diversas, com excelente qualidade agronômica, ideia que pode ser posta em prática em Rondônia, proporcionando assim, a produção de mudas de cacau, café, guaraná, banana, essências florestais, dentre outras.

“Rondônia produz hoje mais que no passado recente, mas pode aumentar em muito sua produção com a adoção de técnicas clonais e de cultivo”, explica o superintendente da Ceplac, Cacildo Viana. Continuando, diz que “convidamos políticos e produtores a nos acompanhar, pois iniciamos a revitalização dos nossos cacaueiros com enxertos clonais, que já apresentam aumento na produtividade, mas precisamos fortalecer a recém-criada Câmara Setorial do Cacau”.

A expectativa do grupo é de trazer para o Estado os mecanismos para a tecnificação do cultivo e produção do cacau, agregando as espécies clonais desenvolvidas e testadas pela Ceplac.

“Temos muito a aprender e também a ensinar aos nossos parceiros da Bahia, pois somos os principais produtores brasileiros e o alinhamento das nossas ações vai ser vantajoso para todos”, justifica Alberto Quintans, responsável pelo Centro de Assistência Técnica e Extensão Rural da Ceplac em Rondônia.



Escreva um comentário