Porto Velho/RO, 08 Novembro 2020 18:41:12

Fernando Pereira

coluna

Publicado: 26/10/2020 às 16h15min

A- A+

Como empreender online e por onde começar

Mas a final, o que é empreender? É resolver um problema através da criação de um produto ou serviço

Aprender para empreender é sempre necessário

Desde de o advento do capitalismo, nascido por volta de 1750, quando o mundo deixava para trás o feudalismo, as pessoas passaram a ver na possibilidade de criar um produto ou um serviço uma forma de atender a uma demanda e melhorar suas vidas, a partir do aspecto econômico.
Mas a final, o que é empreender? É resolver um problema através da criação de um produto ou serviço: para o problema do cabelo que cresce, criou-se o serviço de cortar cabelo; para o problema do odor sudorifico nas axilas, criou-se o produto desodorante.
Sempre que alguém resolve um problema e ganha dinheiro com isso, essa pessoa está empreendendo.

Empreender no digital

E na era digital empreender continua sendo resolver um problema. Você pode criar um produto e vendê-lo usando a Internet, ou você pode criar um infoproduto, a exemplo de um e-book (livro virtual), criar um curso, vender suas habilidades de edição audiovisual etc.
Para se criar um produto, é necessário resolver um problema novo ou apresentar uma solução melhorada para um problema para o qual outras pessoas já apresentaram soluções, o que você precisa, em suma, é ter um diferencial.
Conheça seu público/clientes
Antes de querer vender um produto, e isso vale para o online e o off-line, é preciso saber quem é o seu público, em que lugar ele mais está presente, por exemplo, se for pessoas da classe média para cima, vai estar mais presente no Instagram. Quais são os hábitos de consumo virtual de seu público/cliente? Ele gosta de política? Que tipo de sites visita, que tipo vídeos assiste? Qual idade tem? Etc.
Sem conhecer o seu público, você vai criar um produto e torcer para que ele se interesse. Mas conhecendo seu público, você pode criar um produto heterogêneo, ou seja, que atenda seu público em geral, mas com características adaptadas a cada subgrupo – de idade, gênero, classe social etc.

Produza conteúdos

O que as pessoas mais consomem na Internet hoje em dia é conteúdo relacionado a todos os tópicos imagináveis do saber: política, filosofia, culinária etc. Logo, a dica de por onde começar consiste em vender conteúdo, seja um curso sobre como fazer pizzas, sobre como produzir aromatizantes caseiros, sobre filosofia grega, sobre teologia sistemática, etc.
Mas, sobre quase tudo que você pensa em produzir conteúdo para venda, já tem alguém fazendo isso. Por isso é importante você trabalhar com o uso da reciprocidade, ou seja, antes de vender um conteúdo, doe bastante sobre esse conteúdo. Veja por exemplo, o quanto de conteúdo gratuito sobre desenvolvimento pessoal o Coach Paulo Vieira tem ofertado na Internet antes de vender um curso sobre um tema específico.

Crie reciprocidade

Na “lei da das relações sociais”, a reciprocidade funciona assim: se alguém te dá um conhecimento que você só teria se lesse dias, meses ou anos a fio, você ficará feliz por ter aprendido e, sobretudo, porque alguém te ofertou isso de graça. Daí, quando essa pessoa que te deu aquele volume legal de informações estiver vendendo um curso que você teria interesse em comprar, advinha de quem você comprará.

Chame a atenção

As pessoas só conhecerão seu produto ou consumirão seus conteúdos, pré-venda do seu produto/serviço, se você souber apresentá-lo bem, ou seja, conseguir chamar atenção. Como há um oceano de conteúdos na Internet, você precisará ser bastante criativo para que as pessoas não pulem seu vídeo de anúncio no Youtube, não ignorem sua postagem na rede social, etc. Antes de vender qualquer coisa na era digital, você precisa “comprar” a atenção das pessoas. As pessoas vendem sua atenção em troca de uma imagem bonita, de um conteúdo bem estruturado, de uma frase curta mas que casou impacto etc.

Vale a pena

É burocrático investir no online, mas, na medida que você se esmera em conhecer os caminhos, você cresce e, quando cresce, passar enxergar de forma mais ampla e passa a ver mais possibilidade seja dentro do seu segmento ou em outros.
E para finalizar, vale ressaltar que, não adianta o produto/serviço ser bonito e chamar a atenção, ele tem que ser eficaz, tem que produzir resultados e/ou experiências para além do imaginado pelo público/cliente. Antes de tentar tudo que te falei, acredite no que você vai fazer e o resto será fácil.
Boa sorte!


Deixe o seu comentário

sobre Fernando Pereira

Jornalista, formado e pós-graduando em Marketing, assessor de comunicação e chefe do departamento de Marketing da Unicem Pós-Graduação em Odontologia, e da Unicesumar EaD/polos de Ji-Paraná e Ouro Preto do Oeste)