Porto Velho/RO, 14 Janeiro 2020 12:43:42
    Geral

    Consumo de chocolate na Ásia estimula produção de cacau em RO

    Há uma carência mundial de produção de um milhão de toneladas de cacau, pressionada pelo aumento do consumo de chocolate especialmente..

    A- A+

    Publicado: 11/10/2014 às 14h22min | Atualizado 23/04/2015 às 12h12min

    Terra Forte apoia e fomenta a agroindústria nos assentamentos do Estado de Rondônia

    Terra Forte apoia e fomenta a agroindústria nos assentamentos do Estado de Rondônia

    Há uma carência mundial de produção de um milhão de toneladas de cacau, pressionada pelo aumento do consumo de chocolate especialmente na Ásia. A partir dessa constatação, o técnico da Ceplac e empreendedor rural, Antônio Deusemínio de Almeida, falou aos assentados de Rondônia sobre a grande oportunidade que representa o cultivo do cacau, em seminário promovido pelo Incra e Ceplac na última semana, em Machadinho d’Oeste (RO).

    A Ásia é residência de cerca de 3,7 bilhões de pessoas, mais da metade da população mundial, que está se tornando uma superpotência de consumo de cacau e chocolate. A disponibilidade de sementes de cacau será o grande desafio para as indústrias em todo o mundo.

    Nessa perspectiva, diversas iniciativas estão sendo desenvolvidas nos assentamentos da reforma agrária de Rondônia. O técnico explicou que a região amazônica é o ambiente perfeito para essa produção, por ser o cacau nativo daqui e ser alternativa ideal para os agricultores familiares do Estado por aliar agroecologia, economia solidária, sustentabilidade econômica e ambiental e ambiente propício para o trabalho familiar.

    “O cacau tolera solo arenoso, pedra e alagação. Ele é da região. Além disso, há a possibilidade de ser consorciado com café, pupunha, graviola, frutas cítricas, teca, criação de aves, peixes e uma infinidade de outras opções, principalmente pela sombra que produz. Em curtíssimo prazo, o agricultor já obtém renda”, afirmou.

    Deusemínio explicou que a Ceplac e o Incra estão direcionando o trabalho para uma produção de três toneladas por hectare de terra, com uma variedade melhorada do cacau que produz em média três quilos por pé. “Incra e Ceplac se unem novamente, 43 anos depois, para disseminar o cacau em Rondônia”, lembrou. Uma importante parceria entre os órgãos ocorreu em 1971 quando a tecnologia utilizada na Bahia foi trazida para Rondônia.

    Financiamento

    O programa Terra Forte do Incra, que tem como objetivo apoiar e promover a agroindústria nos assentamentos da reforma agrária, selecionou dois projetos em Rondônia, nos PA’s Margarida Alves, no município de Nova União (RO), e Padre Ezequiel, em Mirante da Serra (RO). O primeiro será voltado à agroindústria do leite e seus derivados. O segundo à gestão de recursos naturais, como o cacau.



    Deixe o seu comentário